Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Esportes

Bósnia ficará em estádio construído ao lado de ocupação em Guarujá

Agência Brasil

Estreante em copas do Mundo, a Bósnia e Herzegovina escolheu a cidade de Guarujá, na Baixada Santista, como local para treinamento no Brasil. O time ficará no Estádio Municipal Antônio Fernandes, que foi totalmente reformado. As obras, porém, não ultrapassaram todos os muros da arena construída ao lado de uma ocupação em 1982.

José Soares, que mora ao lado do estádio, declara, desiludido, que esperava por melhorias no bairro onde mora desde a década de 1970. “Falaram que aqui [aponta para o terreno da casa dele] iam fazer uma pracinha. As casas daqui o pessoal ia passar pra cima [em ponto mais alto do bairro]”, detalha. Em vez dos benefícios, porém, Soares vive agora com o temor de inundações, devido à mudança de local do muro do estádio. “Quando chove mesmo, isso aqui corre água. Quase meio metro de altura aqui”, conta o morador.

Na casa ao lado, o aposentado Júlio Barbosa da Silva vive uma situação parecida. Ele reclama que teve de paralisar uma obra devido à incerteza sobre a saída do local. O aposentado diz que chegou ao bairro na década de 1990 e que tem o contrato de compra e venda da área, mesmo sem a escritura e sem pagar impostos.

“Tenho minhas coisas que eu plantei. Então eles não podem chegar e tirar a gente. Quer indenizar, eu saio”. Ele conta que paralisou a construção de uma casa de alvenaria para a irmã, no mesmo terreno, devido à possibilidade de mudança com a reforma no estádio. “Já faz mais de um ano que tá parada a casa da minha irmã. Agora ela sim, tá vivendo num barraco de madeira velho, por causa deles, que falaram que iam fazer casa aqui, não fizeram nada.”

O vice-prefeito Duíno Fernandes reconhece que a área em torno do estádio precisa de melhorias. Ele diz que serão investidos R$ 2,2 milhões no local, mas não dá prazo para a conclusão das obras. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Obras de Guarujá, as moradias que estão na região visitada são irregulares, mas não impedirão o bom funcionamento da arena durante a Copa do Mundo. A secretaria reconhece que a cidade apresenta déficit habitacional e diz que uma solução definitiva está sendo estudada dentro do Plano Local de Habitação de Interesse Social.

A reforma no estádio custou R$ 16 milhões, sendo R$ 12 milhões pagos pelo Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias, do governo estadual, e mais R$ 4 milhões do governo federal, usados para equipar o estádio. Os equipamentos, porém, ainda não haviam chegado ao estádio há uma semana, quando a reportagem visitou o local. Após a estadia da Bósnia, o local será usado pela Associação Desportiva Guarujá, que disputa a quarta divisão do Campeonato Paulista. Projetos sociais e uma pista de caminhada devem ser disponibilizados para a comunidade. 

Tags: brasl, Copa, estádio, seleção, treinamento

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.