Jornal do Brasil

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Esportes

Precursor do esporte: amigos lamentam morte de Luciano

Portal Terra

Ex-companheiros e de trabalho de Luciano do Valle e personalidades como os apresentadores José Luiz Datena e Milton Neves lamentaram a morte do narrador ao vivo na neste sábado na TV e Rádio Bandeirantes, respectivamente. Ambos exaltaram a importância do locutor para o esporte nacional, assim como ex-atletas como Hortência, Paula e Emerson Fittipaldi.

Milton Neves, apresentador em entrevista à rádio Bandeirantes - "Estou levando o maior susto do mundo. Dudu Magnani,  da Band, me ligou e me avisou. Maior luto da crônica esportiva brasileira, com todo respeito com aqueles que já nos deixaram".

José Luiz Datena, apresentador, à TV Bandeirantes - "Só sei dizer que a televisão perde às vésperas da Copa do Mundo o seu maior. Infelizmente ele nos deixa às portas da Copa do Mundo. Luciano era minha referência na carreira, me deu a mão quando eu mais precisei. Foi um divisor de águas na TV brasileira. Luciano transformou a Band no canal de esportes. Tinha uma visão além do tempo. Além do grande caráter que era de uma pessoa inigualável. É um dia muito triste, não só para nós como para toda nação brasileira", disse o apresentador.

Hortência Marcari, ex-jogadora de basquete, à rádio Bandeirantes - "Ele foi o grande responsável não só pela rivalidade Hortência x Paula, mas do esporte - basquete, voleibol - aparecer. Ele foi o precursor do esporte no Brasil inteiro.Estou chocada. Ele era o máximo, um cara companheiro, amigo. Ajudou a construir nosso esporte. Devemos muito a ele, que foi uma pessoa extremamente importante na minha carreira e na da Paula".

Magic Paula, ex-jogadora de basquete, à TV Bandeirantes - "Cumpriu a missão dele e ficamos aqui relembrando todas as coisas boas que fez pelo esporte brasileiro. Conviveu com a gente no período em que éramos meninas e ele queria proteger e levar a voos mais altos. Narrou nosso título mundial na Austrália onde ninguém acompanhou. A morte do Senna, a Copa dos Estados Unidos, tudo que ele levava aos nossos corações vai ficar para sempre".

Emerson Fittipaldi, ex-piloto da F1, à TV Bandeirantes - "Notícia muito triste ao esporte brasileiro. O Luciano sempre foi incentivador, um amigo, levava a outr nível o esporte. Incentivou demais e foi uma pessoa fantástica. Participou da minha vida, das conquistas do nosso esporte. Muito triste para todos nós. Um narrador fantástico, um grande amigo, o esporte perdeu grande parte da história dele hoje".

Leandro Quesada, repórter da Bandeirantes - "O legado de Luciano do Valle foi ter fomentado o esporte. Luciano do vôlei, do futebol, do basquete, do boxe, da sinuca, do futebol feminino, do atletismo, do automobilismo... Luciano foi além de narrador, um homem que também incentivou a cultura esportiva. O programa 'Show do Esporte' da Band TV abriu o caminho para a criação dos canais de TV especializados em esportes. Luciano foi um símbolo, um ícone e uma referência pra todos que praticam e informam sobre o esporte".

Rodrigo Vessoni, repórter do Lance - "Minha infância e adolescência se confundem com a trajetória do Luciano do Valle. Praticamente, fez parte de todos os finais de semana da minha vida. Deixa o legado de que o esporte faz parte da vida das pessoas e que o jornalista, como a ponte disso, deve ser bem feito".

Renata Fan, apresentadora - "Eu convivi com o Luciano fora do vídeo e dentro do vídeo. Tive o privilégio de vê-lo em situações diferentes. No ano passado, por exemplo, tivemos com o pessoal da Fifa em um jantar e o vi super democrático, negociador, super polido, conversando sobre coisas mais amplas do que uma partida de futebol. Era um cara experiente. Da mesma maneira que ele narrava o gol mais bonito da TV, ele emocionava as pessoas com as coisas mais simples do mundo.

Ele era um diferenciado, fez dez copas. Estava motivado como um menino para mais uma Copa. Era uma meta, um sonho. Ele mencionava cada colega, era generoso, de uma bondade infinita. Ele não tinha vaidade, não fazia conchavos. Não perdia tempo com coisas fúteis. Se preocupava com crescimento.

Ele era a pessoa mais distante e mais próxima. O Luciano foi a pessoa que sempre disse a verdade, me ajudou muito, para amplificar meu trabalho. Ele via pessoas que tinham talento. Ele viu muitas coisas antes que a maioria. É uma lacuna, uma perda irreparável para as futuras gerações. É um legado maravilhoso que ele deixa. Um dia difícil. Ele não gostaria de nos ver chorando.

Ele sentava, levantada, narrando, trazia emoção, força, apoio. Algo que nunca vi em nenhum outro narrador. Era um dom, uma dádiva só dele. Ele vai ser do Brasil para sempre. No dia em que o campeonato volta, de repente tudo é interrompido".

Téo José, apresentador - "Estávamos muito próximos nos últimos dois anos, foi nossa melhor relação. Conversávamos sobre dificuldades da Copa com esses atrasos. A última vez que estive com ele foi há 25 dias, numa convenção na Band. Ele disse que nunca havia se preparado tanto pra uma Copa. Disse que estava fazendo exercícios, com assistência de dois médicos, se preparando fisicamente, etc. Isso foi meio louco porque ele estava bem, estava magro. Foi a época que o vi melhor.

Acho sacanagem ele não ter feito a Copa. Era o sonho dele fazer a Copa no Brasil. Essa Copa vai ser dele. Senti ele super bem. Conversando sobre escala, ele estava empolgado que poderia fazer Itália x Inglaterra, queria muito fazer esse jogo.

Ele foi o maior de todos sempre. Além do trabalho de narrador, teve uma importância pro esporte sensacional. Tem muita gente que deve muito pra ele, como na Indy, vôlei, boxe, futebol feminino. Além de ter sido o maior narrador de todos foi o maior entendedor que o esporte já viu. Onde uma pessoa poderia imaginar uma partida de vôlei no Maracanã? Se tem uma pessoa que merece toda homenagem no mundo no esporte, é ele".

Hélio Castroneves, piloto da Fórmula Indy, à TV Bandeirantes - "Perdemos uma pessoa que se importava com muita gente. Passei por momento difícil nos Estados Unidos e ele foi uma das pessoas que ao invés de tacar pedra me defendia. Isso mostra o caráter da pessoa. Não sou diferente, peo contrário, era uma pessoa com o coração enorme e quero lembrar dele pelo entusiasmo que tinha. Nunca vou esquecer da minha primeira vitória. Vamos orar pelos familiares, pois não é fácil".

Roberto Rivellino, ex-jogador de futebol, à TV Bandeirantes - "Muito triste, me ensinou muito, acreditou em mim e se hoje estou na TV devo muito a ele.  Realmente muito triste. Me pegou de surpresa. Cumpriu a sua missão e não sofreu. Cumpriu em todos os sentidos com humildade, que Deus o tenha, está lá em cima olhando por nós. Agradeço a Deus por ter feito parte da vida dele. Quando fez 50 anos abracei com carinho e merece, fez tudo certo, correto, que Deus o tenha".

José Roberto Guimarães, técnico da Seleção feminina de vôlei, à TV Bandeirantes - "Estava ouvindo você falar e está muito difícil. Também fui pego de surpresa, não sabia, e é muito complicado, pois a gente perde não só o melhor locutor que o Brasil já teve, mas também um grande amigo. Eu só quero agradecer o que ele fez pelo vôlei, pelo esporte, tive um dos melhores momentos da minha carreira no dia 31 de julho quando ele puxou parabéns a você com Ibirapuera lotado. É complicado falar algo dele, estivemos juntos há um mês. Vôlei conquistou muitas medalhas e ele teve participação enorme".

Aldo Rebelo, ministro do Esporte - "Lamento profundamente a morte de Luciano do Valle e me solidarizo com os parentes e amigos do grande narrador. O jornalismo brasileiro, especialmente o jornalismo esportivo, fica empobrecido com essa perda".

Bernard Rajzman, ex-jogador de vôlei, à TV Bandeirantes - "Era uma pessoa muito querida e que muito fez pelo esporte. O Brasil perde uma das maiores âncoras do esporte nacional. Sem dúvida aquele que abriu as portas para que os outros esportes tivessem o seu espaço. O Brasil não é mais só futebol". 

Tags: depoimentos, locutor esportivo, luciano do valle, morte, repercussão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.