Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Esportes

Pelaipe mantém respeito por Mano e rebate Vasco

Portal Terra

O diretor executivo do Flamengo, Paulo Pelaipe, já tem muita história para contar no pouco mais de um ano no clube carioca. A principal delas, sem dúvida, tem como protagonista Mano Menezes, técnico com quem mantém amizade desde os tempos de Grêmio e ajudou a levar para o Rio de Janeiro. O ex-técnico da Seleção durou pouco tempo no clube e virou vilão para os flamenguistas por causa de um pedido de demissão inesperado. Poucos meses depois, com Jayme de Almeida, o Flamengo levou a Copa do Brasil e Mano foi xingado pelas arquibancadas.

Em entrevista exclusiva ao Terra nesta quinta-feira, Pelaipe contou que não guarda mágoas do treinador no qual apostou suas fichas no projeto para o clube. Apesar da surpresa inicial, o respeito continua. “É uma pessoa muito correta, muito séria. Nos últimos anos eu não me lembro de um treinador sair e pagar a multa rescisória. Mostra que ele é uma pessoa séria”, disse.

Pelaipe também rebateu as reclamações vascaínas por causa da final do Campeonato Carioca, decidida por um gol irregular de Márcio Araújo. E ironizou a situação, fazendo ligação com a eliminação flamenguista na Copa Libertadores. “Jogamos por 80 minutos com um a menos, tivemos dois pênaltis duvidosos e nem por isso estamos reclamando”, afirmou.

Veja os principais trechos da entrevista

Gol irregular de Márcio Araújo

Da posição que eu estava, eu achei naquele primeiro momento que o gol tinha sido feito pelo Nixon. Depois de um lance parado com câmeras fica mais fácil de julgar. Vários narradores fizeram isso, só com o replay viu que não tinha sido o Nixon.

Título carioca

Flamengo mereceu ser campeão, prestigiou o Campeonato Carioca jogou sempre que possível com o time titular, a conquista dos atletas foi justa, merecida pelo sucesso na competição.

Adeus à Copa Libertadores

Na Copa Libertadores não fomos competentes. Tivemos alguns jogos que não conseguimos superar os adversários. Fomos infelizes, principalmente nos jogos fora. Jogamos por 80 minutos com um a menos, tivemos dois pênaltis duvidosos e nem por isso estamos reclamando. Todo mundo sabe que o primeiro pênalti não houve. O segundo foi muitíssimo duvidoso, mas aconteceu.

Lamber as feridas

Como diz o ditado temos que lamber as feridas, saber por que perdeu e procurara melhorar. No Estadual merecemos o titulo, sempre tem que ter o equilíbrio, saber por que ganha e perde. A gente não trabalha sozinho, trabalhamos em equipe. Temos sempre reuniões com a comissão técnica com o Jayme, fazer tudo com os pés no chão, equilíbrio necessário, dentro de um orçamento financeiro. A maior contratação foi honrar os compromissos, pagar os salários... A gente não ilude o torcedor, pede um pouco de paciência. Não adianta dizer que vai fazer grandes contratações e depois não pode honrar os compromissos e pagar o salário em dia.

Paulo Pelaipe e Mano Menezes no Flamengo; amizade de longa dataFoto: Mauro Pimentel / Terra

Contorcionismo financeiro

Era uma cultura no Flamengo. Nós tínhamos jogadores com cinco, seis e oito meses de salários a cumprir. Estamos negociando as dividas com muito sacrifício.

De olho no mercado

Nós não prometemos, não fazemos nenhum tipo de promessa que não possamos cumprir. Observamos o mercado. Tem vários jogadores que estão se destacando no futebol brasileiro, nos campeonatos estaduais. Talvez contrate duas ou três apostas como fizemos no ano passado. E na janela do mês de julho, se houver algum atleta que se enquadre dentro dos padrões financeiros do Flamengo.

Carlos Eduardo

Ele foi uma indicação do treinador. No futebol as coisas dão certo e não dão certo. Um dos gols mais importantes da temporada 2013 foi feito pelo Carlos Eduardo contra o pior adversário, mais temido. Foi campeão com cinco, seis rodadas de antecedência. O Flamengo venceu essa batalha quando todo mundo dizia que o Cruzeiro seria vitorioso. O atleta e o Jayme mesmo disse que foi importante no esquema de jogo que montou. Ele vai ter o contrato encerrado no dia 30. Já comunicamos o Jorge Machado (empresário) e tivemos uma conversa muito franca com o Carlos Eduardo que não iremos renovar o seu empréstimo. O Flamengo vai continuar honrando.

Sem mágoas de Mano

Jamais vai balançar a amizade. Aqui no Flamengo éramos profissionais, a gente tem que respeitar a posição. Muitas vezes um clube demite. O treinador tem o direito de achar que não está indo bem, que seu trabalho não está aparecendo. Mano é um grande treinador, de ponta do futebol brasileiro. É uma pessoa muito correta, muito séria. Nos últimos anos eu não me lembro de um treinador sair e pagar a multa rescisória. Mostra que ele é uma pessoa séria. A gente fica triste de perder o profissional. No primeiro momento ficamos perplexos, mas o respeito tem que existir. Quando um profissional sai e cumpre religiosamente seu contrato, assim como um clube, está certo. O Flamengo mesmo tomou a decisão de não continuar com o Dorival Junior porque a parte financeira estava fora da realidade.

Tags: Flamengo, futebol, jogo, Mano Menezes, paulo pelaipe, vasco

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.