Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Esportes

Obras do Complexo Esportivo de Deodoro vão começar no segundo semestre

Agência Brasil

Principal preocupação do Comitê Olímpico Internacional (COI) e também da Prefeitura do Rio de Janeiro na preparação da cidade para as Olimpíadas 2016, a região de Deodoro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, vai começar a receber as obras viárias e de construção dos equipamentos esportivos no segundo semestre. 

Apesar de reconhecer o atraso no andamento das obras, ontem o prefeito Eduardo Paes garantiu que vai cumprir todos os prazos, depois que o COI anunciou que vai aumentar o monitoramento e as visitas ao Rio.

De acordo com a Empresa Olímpica Municipal (EMP), a prefeitura só assumiu a responsabilidade das obras nessa região em agosto, inicialmente delegadas ao governo do estado, e desde então tem trabalhado no ajuste do cronograma.

Em nota, a EMP informa que foi concluída no mês passado a licitação para a construção do domínio urbano, referente às melhorias necessárias em 11 vias da região: ruas Soldado Arlindo Santos, São Pedro de Alcântara, Major Dreon, Tenente Serafim, Marechal Alencastro e Aripuá; avenidas General Benedicto da Silveira, Duque de Caxias, Brasil e Nazareth; e na Estrada da Equitação.

“No total, a área beneficiada é de cerca de 284 mil m². Entre as obrigações da empresa vencedora estão obras de pavimentação e acessibilidade, construção de ciclovias e reforma de calçadas”, informa a EMP. A empresa diz, também, que a prefeitura vai lançar ainda este mês as licitações para  a construção e reforma das instalações esportivas na região, que vai receber 11 modalidades.

De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a legislação dispensa o empreendimento de Estudo de Impacto Ambiental e do Relatório de Impacto ao Meio Ambiente ( EIA/Rima), mas o Ministério Público pediu na justiça que os documentos fossem feitos. Mas, segundo o Inea, o EIA/Rima, de responsabilidade do empreendedor, ainda não foi entregue.

Na Matriz de Responsabilidades 2016, divulgada no fim de janeiro, todas as obras dos equipamentos esportivos e de infraestrutura aparecem com grau de maturidade dois, que corresponde a anteprojeto ou projeto básico/termo de referência em elaboração. O grau de maturidade vai até seis, quando o equipamento está pronto para operação. Os recursos serão do governo federal, mas ainda não tem valores definidos.

Tags: Esportes, esportivo, Obras, olimpíadas, preparação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.