Jornal do Brasil

Domingo, 27 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Esportes

Obras do Complexo Esportivo de Deodoro vão começar no segundo semestre

Jornal do Brasil

Principal preocupação do Comitê Olímpico Internacional (COI) e também da Prefeitura do Rio de Janeiro na preparação da cidade para as Olimpíadas 2016, a região de Deodoro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, vai começar a receber as obras viárias e de construção dos equipamentos esportivos no segundo semestre. 

Apesar de reconhecer o atraso no andamento das obras, ontem o prefeito Eduardo Paes garantiu que vai cumprir todos os prazos, depois que o COI anunciou que vai aumentar o monitoramento e as visitas ao Rio.

De acordo com a Empresa Olímpica Municipal (EMP), a prefeitura só assumiu a responsabilidade das obras nessa região em agosto, inicialmente delegadas ao governo do estado, e desde então tem trabalhado no ajuste do cronograma.

Em nota, a EMP informa que foi concluída no mês passado a licitação para a construção do domínio urbano, referente às melhorias necessárias em 11 vias da região: ruas Soldado Arlindo Santos, São Pedro de Alcântara, Major Dreon, Tenente Serafim, Marechal Alencastro e Aripuá; avenidas General Benedicto da Silveira, Duque de Caxias, Brasil e Nazareth; e na Estrada da Equitação.

“No total, a área beneficiada é de cerca de 284 mil m². Entre as obrigações da empresa vencedora estão obras de pavimentação e acessibilidade, construção de ciclovias e reforma de calçadas”, informa a EMP. A empresa diz, também, que a prefeitura vai lançar ainda este mês as licitações para  a construção e reforma das instalações esportivas na região, que vai receber 11 modalidades.

De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a legislação dispensa o empreendimento de Estudo de Impacto Ambiental e do Relatório de Impacto ao Meio Ambiente ( EIA/Rima), mas o Ministério Público pediu na justiça que os documentos fossem feitos. Mas, segundo o Inea, o EIA/Rima, de responsabilidade do empreendedor, ainda não foi entregue.

Na Matriz de Responsabilidades 2016, divulgada no fim de janeiro, todas as obras dos equipamentos esportivos e de infraestrutura aparecem com grau de maturidade dois, que corresponde a anteprojeto ou projeto básico/termo de referência em elaboração. O grau de maturidade vai até seis, quando o equipamento está pronto para operação. Os recursos serão do governo federal, mas ainda não tem valores definidos.

Agência Brasil


Tags: Esportes, Obras, esportivo, olimpíadas, preparação

Compartilhe: