Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Esportes

COI: 'não é intervenção, mas apenas uma oferta de apoio e experiência'

Após polêmica, entidade divulga nota descartando uma "intervenção", alegando apenas uma ajuda

Jornal do Brasil

Após a repercussão causada com o anúncio do Comitê Olímpico Internacional (COI) de uma intervenção na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, devido aos atrasos nas obras, o órgão, através de seu porta-voz Mark Adams, negou que tenha dito em intervenção. Em uma nota divulgada para a imprensa no final da tarde, a entidade diz que trata-se de uma oferta de experiência e apoio adicional. 

>> Intervenção na Olimpíada? Já basta um Blatter no Brasil...

>> Rio: atraso em obras faz COI intervir na Olimpíada de 2016

>> Dilma garante a Blatter que país estará pronto para Copa

"Acreditamos que o Rio pode e irá entregar Jogos excelentes se ações apropriadas forem tomadas agora. Há um forte compromisso de ambos os lados para fazer os Jogos no Rio um sucesso. As medidas aprovadas hoje têm por objetivo apoiar os organizadores locais, colocando à disposição a experiência de organizadores anteriores dos Jogos Olímpicos e aqueles com experiência sobre como os diferentes níveis de governo podem trabalhar juntos em cooperação perfeita", diz o comunicado.

O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, tem sido pressionado pela Associação das Federações Internacionais Olímpicas de Verão, para tomar medidas urgentes quanto os atrasos nas obras no Brasil. Na próxima semana, o COI vai enviar para o Rio de Janeiro um interventor para resolver os problemas com o cronograma. Segundo o comitê, o escolhido para a visita é o dirigente do órgão Gilbert Felli. Uma reunião com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, já foi confirmada para a próxima segunda-feira (14/4), e três grupos de trabalho serão formados para discutir as questões de atrasos no cronograma e apoiar os organizadores. 

A medida que mais chamou a atenção pelo seu carater imédito foi o anúncio da contratação de uma consultoria independente para fiscalizar diariamente o andamento das obras. No entanto, Bach afirmou que as medidas não são unilaterais e foram acordadas com o Comitê Rio 2016.

Tags: comitê, intervenção, Obras, olimpico, Paes, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.