Jornal do Brasil

Sábado, 30 de Agosto de 2014

Esportes

MP ameaça pedir interdição de parte do Itaquerão por questões de segurança

Agência Brasil

O Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo informou hoje (2) que poderá pedir a interdição de parte do futuro estádio do Corinthians, escolhido para sediar a abertura da Copa do Mundo, caso as exigências de segurança do Corpo de Bombeiros não sejam atendidas pelos construtores. Uma reunião entre o MP, bombeiros e responsáveis pelas obras está agendada para a próxima semana.

Ontem, o Corpo de Bombeiros informou que o equipamento não está seguro para receber público, não está adequado à legislação vigente sobre segurança e também não tem o auto de vistoria da corporação. Os bombeiros pedem a adequação de 26 itens que não estão em conformidade com as normas de segurança.

“A promotoria, em caso de descumprimento ou cumprimento parcial dessas exigências, não descarta a adoção de medidas visando à interdição parcial da arena, mesmo durante a Copa do Mundo de 2014”, de acordo com nota assinada pelo promotor de Justiça de Habitação e Urbanismo da capital, José Carlos de Freitas.

“Nessa hipótese, eventuais prejuízos causados aos adquirentes de ingressos, que poderão ser privados do direito de assistir aos respectivos jogos, deverão ser objeto de ações judiciais em face dos organizadores do evento e dos responsáveis pela construção da arena”, acrescenta.

O MP destaca, entre as exigências do Corpo de Bombeiros, a necessidade de reapresentação do projeto de proteção contra incêndio; a apresentação do projeto temporário do evento Copa do Mundo; o estudo de fluxo de pessoas (memorial de cálculo de lotação, saídas de emergência e tempo de percurso); a instalação de sistema de detecção de incêndio em toda a área; e controle de fumaça em todos os corredores de circulação.

O Corpo de Bombeiros recebeu a primeira proposta de regularização do projeto técnico do estádio em julho de 2012, na qual foram constatadas 50 não conformidades. Em abril de 2013, a corporação recebeu o projeto para nova avaliação, mas 26 itens ainda não estavam em conformidade com a legislação. Até o momento, segundo os Bombeiros, ainda não foi entregue novo projeto.

As obras de construção das arquibancadas temporárias do estádio ficarão embargadas pelo menos até amanhã (3) às 10h, quando será feita uma nova reunião entre a Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e a Fast Engenharia, empresa responsável pela obra.

A interdição ocorreu na segunda-feira (31) após da morte do operário Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, que caiu de uma altura de 8 metros, no último sábado (29). Em quatro meses, esse foi o segundo acidente com morte nas obras do estádio que receberá o jogo de abertura da Copa do Mundo. No final de novembro, dois operários morreram após a queda de um guindaste.

Tags: Corinthians, embargo, estádio, Obras, riscos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.