Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Esportes

Brasileiros rebatem Cruyff e defendem Neymar: é só um garoto

Portal Terra

Um dia após a declaração do holandês Johan Cruyff, ídolo catalão, de que Neymar é hoje o principal problema do Barcelona, Bebeto, Alexandre Gallo e Carlos Alberto Parreira saíram em defesa da principal estrela da Seleção Brasileira, na cerimônia de reinauguração da Granja Comary, em Teresópolis. O local servirá de concentração para os atletas do Brasil na Copa do Mundo de 2014.

“Ele foi um grande jogador, mas às vezes fala muita bobagem”, criticou Bebeto, ex-atacante da Seleção Brasileira e atual membro do Comitê Organizar Local (COL) do Mundial da Fifa. “O Neymar só tem 22 anos, é um garoto. Um moleque com um potencial tão grande. Deixa ele brincar e se divertir”, afirmou ainda.

Para Bebeto, o fato de Neymar ter chegado ao clube catalão em uma transação que beirou os R$ 320 milhões, e com um super salário que estaria abaixo apenas do argentino Lionel Messi, o membro do COL disse que “isso é porque todo mundo queria ele. Se o Barelona não agisse, não iria levar e iria perder para outro clube”. ““O Neymar só tem 22 anos, é um garoto. Um moleque com um potencial tão grande. Deixa ele brincar e se divertir”, completou.

Técnico das Seleções de base do Brasil, Alexandre Gallo também julgou improcedente as críticas do ex-jogador holandês, que afirmou que um atleta jovem como Neymar não pode chegar como grande estrela de uma equipe que já conta com craques do potencial de Andrés Iniesta e Xavi, por exemplo.

“Ele esquece que o Neymar ainda é um garoto. É um ser humano em formação. Em alguns momentos ele vai cometer seus erros, mas é alguém muito preparado e a gente sente muito por essa declaração”, disparou Gallo, que tem sido o espião do técnico Luiz Felipe Scolari e observado os jogos dos primeiros adversários do Brasil na Copa do Mundo: Croácia, México e Camarões.

“A gente pensa desse jeito. Vemos um atleta que é o primeiro a chegar ao treino e o último a sair, super dedicado, comprometido com o trabalho e cúmplice dos companheiros, a gente sente muito uma declaração desse tipo”, completou o treinador de base.

Mais cauteloso que os demais, sem deixar, porém, de defender o grande destaque da Seleção Brasileira, o coordenador técnico da equipe nacional, Carlos Alberto Parreira, explorou o fato de que, “no miolo da matéria, ele foi até bem comedido”. “"Eu achava que a Copa do Neymar seria em 2018, mas ele cortou atalhos, fez uma grande Copa das Confederações e está pronto. O Messi está no Barcelona desde 14 anos e só agora chegou no auge", disse.

Tags: atacante, Barça, Copa, Críticas, neymar

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.