Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Esportes

Em 9º, Massa sofre com pista molhada: "nos atrapalhou mais"

Portal Terra

No treino de classificação para o Grande Prêmio da Austrália de F1, neste sábado, em Melbourne, a Williams encerrou um longo jejum: colocou seus dois carros no Q3, o que não acontecia desde o Grande Prêmio da Hungria de 2012. Por isso, mesmo sem conseguir acompanhar o ritmo das Mercedes de Lewis Hamilton (pole position) e Nico Rosberg (terceiro colocado), a dupla do time de Frank Williams festejou o desempenho no sábado, lembrando o potencial para a prova deste domingo.

 “Colocar os dois carros no Q3 foi um passo à frente para a equipe se compararmos com o desempenho da última temporada. Mas nós tínhamos um carro capaz de terminar em posição melhor no grid. O carro estava bem em pista seca, durante o terceiro treino livre e durante o Q1, mas sofremos na pista molhada com o downforce na traseira, e esta condição provavelmente nos atrapalhou mais do que aos outros”, disse Felipe Massa.

Em seu primeiro treino oficial pela escuderia britânica, o brasileiro conquistou o nono lugar, enquanto seu companheiro Valtteri Bottas foi o décimo. O finlandês, porém, perderá cinco posições no grid de largada, em virtude de uma troca do câmbio.

A última vez que a William colocou seus dois carros nas cinco primeiras filas foi em 28 de julho de 2012, quando Pastor Maldonado conquistou o oitavo lugar no grid para o GP da Hungria, com Bruno Senna em novo. Curiosamente, Felipe Massa – então na Ferrari – saiu em sétimo.

Como a punição tirou Bottas dos dez primeiros lugares, o desempenho do treino da Williams na Austrália em relação aos últimos anos foi estatisticamente menos competitivo. Ainda assim, são as melhores posições do time desde o Grande Prêmio do Canadá de 2013, disputado em junho, quando o finlandês largou em terceiro e Maldonado saiu da 13ª posição.

Mesmo com o desempenho competitivo, Bottas acredita que a Williams poderia ter ido ainda melhor caso tivesse conseguido uma melhor adaptação dos pneus à pista molhada – o treino aconteceu sob chuva a partir do Q2.

“As condições variaram muito hoje e foram muito traiçoeiras para todo mundo hoje. Fiquei um pouco decepcionado com a 10ª posição no Q3. Tínhamos ritmo para terminar em posições acima, mas sofremos para fazer os pneus intermediários e molhados funcionarem apropriadamente”, lamentou o finlandês, que buscou ânimo.

“Temos que olhar de maneira positiva a presença dos dois carros no Q3, já que isso não acontecia há algum tempo. É uma pena que tivemos que trocar minha caixa de câmbio, uma vez que nosso carro se mostrou muito confiável nos testes. Mas nosso ritmo para pista seca se mostrou muito forte; então, se o tempo estiver bom, temos uma boa chance de conquistar pontos amanhã”, projetou.

A perspectiva foi otimista também para Felipe Massa. “A corrida pode ser imprevisível amanhã. A confiabilidade será importante, então precisamos trabalhar duro para termos a certeza de que não teremos problemas. Assim, poderemos usar nosso ritmo em pista seca para conquistamos boas posições”, analisou. 

Tags: carro, confiável, mostrou, muito, nos, nosso, se, testes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.