Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Esportes

Em ascensão, Lucas está preparado para esperar mais 4 anos por convocação

Portal Terra

Substituído no intervalo de amistoso contra a Zâmbia, em outubro, Lucas não voltou mais à Seleção Brasileira. Foram só duas convocações desde então, mas ficar de fora das listas de Luiz Felipe Scolari na hora decisiva acendeu um alerta para uma das maiores esperanças do Brasil. Com tantos concorrentes, Lucas estaria de fora da Copa do Mundo? 

Em uma teleconferência para jornalistas brasileiros nesta segunda-feira, o meia-atacante do Paris Saint-Germain se dividiu entre o otimismo e o realismo em momento de ascensão no futebol francês. Lucas, destaque nas últimas rodadas e vice-líder de seu time em assistências na temporada, admitiu que está preparado para esperar mais quatro anos para um Mundial. 

Enquanto é orientado a driblar menos dentro de campo, ele tenta deixar para trás os obstáculos que encontra fora dele. A distância do Brasil é o maior problema na Europa, admite nesta entrevista. Lucas cita a saudade de churrasco, de pagode e do calor humano dos amigos e da família como algo a ser driblado. 

Confira os principais trechos da entrevista:

Falta de espaço na Seleção

Acho que o principal motivo é que estava atuando pouco na época da convocação. Perdi lugar de titular e no Brasil há um leque de opções no ataque. A disputa ficou alta no PSG com a chegada do Cavani, outros atletas de qualidade, e perdi um pouco de espaço. Sei do meu potencial, venho trabalhando firme para voltar à Seleção. 

As mudanças pedidas por Laurent Blanc

É uma orientação do meu treinador (dosar arrancadas). Levo como uma lição para poder trabalhar mais essa parte, sem perder as características de velocidade com bola no pé e acelerar o jogo sempre em direção ao gol. Às vezes peco um pouco em definir o momento certo de driblar.

Armas para ir à Copa do Mundo

É confiar na crescente que venho, ajudando a equipe, atuando 90 minutos, participando dos jogos e conseguindo as vitórias. É continuar crescendo, marcando gol que é importante. Tenho feito muitas assistências e feito poucos gols. Tem que marcar também.

Liga dos Campeões é a grande oportunidade

A Liga dos Campeões é o campeonato mais disputado do mundo. Grandes atuações nessa liga, contra essas equipes, chamam mais a atenção. A concentração maior, são jogos decisivos, o espírito é maior. É entrar bem porque na Liga dos Campeões todos estão acompanhando.

Oscilações no PSG

É meu primeiro ano de Europa. O futebol é diferente, o time é diferente, é outra cultura. Até me adaptei um pouco rápido e estou crescendo bastante. No primeiro ano tive lesões, tiveram mudanças na equipe, mas são coisas naturais. Quero fazer mais gols, mas aqui estou me dedicando muito na parte tática. 

Maiores dificuldades para adaptação à França

A principal dificuldade é fora de campo. Me adaptar em Paris foi difícil. Sou uma pessoa muito família, que está sempre perto dos amigos, sempre brincando. Sinto falta disso. Da família, do churrasco e do pagode no fim de semana. Não tem aqui o hábito da oração antes do jogo, não tem nada disso. Sinto falta dessa alegria toda. O principal é a saudade da família, mas hoje estou mais adaptado e acostumado.

Como se vira na França 

Tem mercado brasileiro para comprar coisas do Brasil. Nas folgas, mesmo com frio, fazemos um churrasco sempre que dá tempo. Agora mesmo recebi visitas do meu irmão, meu primo e dois amigos. Meu pai sempre vem do Brasil. É a maneira que a gente encontra para matar a saudade. Fico feliz com a casa cheia

Preparado para ficar fora da Copa?

Graças a Deus tenho a cabeça boa e a mente muito forte. Consigo absorver bem as coisas e me preparar para qualquer coisa que venha a aparecer na minha vida. É sempre pensar positivo, sempre acreditar, mas sei lidar com a derrota e coisas que acontecem e a gente não espera na vida. Tenho uma criação muito boa, amigos, gente aqui comigo, e isso me dá forças Se não for essa Copa, claro que vou ficar chateado, mas vai servir de motivação para batalhar ainda mais para ir à próxima. Sei do meu potencial e não conquistei o que conquistei à toa. 

Tags: França, jogador, Lucas, psg, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.