Jornal do Brasil

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Esportes

Copa: para moradores de Manguinhos, futebol virou diversão para poucos

Jornal do Brasil

Os moradores da comunidade de Manguinhos, em Benfica, Zona Norte do Rio de Janeiro, ainda lembram dos bons tempos em que domingo era o 'dia da pelada no campinho'. Com o aumento da violência na comunidade, as partidas entre os moradores se tornaram raras, mas a paixão pelo futebol continua a mesma. "Apesar de que a população do Rio, não somente as dos morros, está com o sentimento de indignação com relação a Copa do Mundo. Quando o assunto é futebol, as pessoas comentam mais sobre os preços das partidas, da Copa, do Maracanã, de outros estádios pelo Brasil. Virou uma diversão para poucos", conta o presidente da Associação de Moradores da Vila Turismo, em Manguinhos, Gilson Alves de Jesus.

>> Copa: morador do Alemão cobra mesmo empenho para obras de infraestrutura

>> Copa do Mundo: comunidades cariocas reclamam dos preços das entradas

>> Copa do Mundo: até nos 'celeiros de craques' os ingressos são "sonho distante"

Gilson destaca que os novos preços dos bilhetes do Maracanã estão inviáveis para a população de Manguinhos, que também não realizará o sonho de assistir a um jogo da Copa do Mundo. "Para os jogos do Campeonato Brasileiro, colocaram os bilhetes a R$ 100, o que é um absurdo. Se a gente, e a maior parte dos brasileiros, não tem condições de pagar uma entrada nesse valor, imagina desembolsar mais de R$ 300 para a Copa", disse Gilson. O morador de Manguinhos lembra da época em que a garotada tinha à disposição um campo de futebol na comunidade, e era a principal diversão do lugar. "Com certeza essa garotada iria adorar assistir a uma partida do campeonato mundial, mas o preço não permite".  

Comunidade de Manguinhos gosta de futebol, mas não irá nos jogos da Copa do Mundo
Comunidade de Manguinhos gosta de futebol, mas não irá nos jogos da Copa do Mundo

Na opinião do presidente da associação de moradores, o sonho impossível da Copa do Mundo deve acirrar os ânimos para além das fronteiras das comunidades, especialmente com a proximidade da realização do campeonato no Brasil. "Com certeza isso deve intensificar as manifestações. Ninguém mais aguenta ouvir notícias sobre obras superfaturadas dos estádios e outras corrupções ligadas a esse evento esportivo. O brasileiro está confuso, porque por um lado torce para o Brasil ganhar, por outro sente revolta pelos preços dos ingressos e fraudes constatadas", opina Gilson. 

Ele acredita que os gastos gigantescos com a realização da Copa no Brasil teriam muito mais proveito para a população se fossem aplicados no precário sistema de saúde do Rio - "que está sendo privatizado, gradativamente" -, em obras de infraestrutura nas comunidades, como a dele, por exemplo, e com outros projetos sociais voltados para as populações mais carentes.  

Tags: comunidades, Copa, futebol, ingressos, maracanã, preços

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.