Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Esportes

Sindicato: políticos e desembargadores agem para presos de organizadas

Portal Terra

Além de cobranças às autoridades por mais segurança e rigor, também junto aos clubes no sentido de regular a relação com as torcidas organizadas. De acordo com o presidente do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, Rinaldo Martorelli, esse segundo ponto deve ser intensificado nos próximos dias para dar mais proteção aos atletas, mas precisa de mais cooperação.

Martorelli se lembrou da tolerância das autoridades em relação aos problemas ocasionados por parte dos torcedores organizados. Disse ainda que os próprios clubes têm de rever sua conduta, mas também fez uma acusação: quando há prisão de torcedores, ocorrem interferências.

“É importante dizer que essas são minorias das torcidas organizadas. Tenho amigos que são membros. Mas quando há um fato e há um torcedor preso, chovem telefonemas de políticos, desembargadores, há um interesse por trás. Não dá mais para ter essa alimentação”, reclamou o representante dos jogadores, sem citar nomes, em encontro que descartou a paralisação do Campeonato Paulista no próximo fim de semana.

“Ou os clubes rompem os laços, ou assumem (as torcidas) como um órgão seu. Não dá para o clube falar ‘não tenho nada a ver’ e daqui a pouco dá ingresso, alugar ônibus. Não dá para ter a posição dúbia”, acrescentou Martorelli.

Na última segunda-feira, o presidente corintiano Mário Gobbi afirmou que o clube não faz concessões nem doa ingressos para os torcedores organizados. Disse ainda que doações para a Gaviões da Fiel, no Carnaval, foram restritas a 2010. Ainda assim, a categoria tem direito a uma faixa de preço especial para comprar entradas para jogos no programa Fiel Torcedor.

Tags: CT, futebol, invasão, Paulista, torcidas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.