Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Esportes

Juninho se emociona em adeus ao Vasco

Portal Terra

O Estádio de São Januário foi o palco escolhido por Juninho Pernambucano para se despedir da carreira de jogador de futebol profissional. O Vasco foi parte significativa durante os 20 anos de carreira dele, que começou no Sport, em 1993, mas se consolidou e ganhou fama quando chegou ao Rio de Janeiro, em 1995. No Lyon, da França, marcou seu nome na Europa ao balançar a rede 100 vezes em 343 partidas.

O meia afirmou que sempre passou pela sua cabeça quando se aposentasse que assumiria a função de treinador. Ele revelou que recebeu um convite para ser comentarista durante a Copa do Mundo pela Rede Globo. Mas antes de decidir o futuro quer tirar férias mais longas.

Na tarde desta segunda, na sala Chico Anysio, em homenagem ao humorista, Juninho revelou os motivos que o levaram a decidir pela aposentadoria imediata, já que ele havia adiado pendurar as chuteiras, antes programado para o fim de 2013, para disputar, ao menos, o Campeonato Carioca. No início de 2014, chegou a assinar com o clube um contrato até 30 de maio. O acordo previa, no entanto, que poderia encerrar a carreira a qualquer momento.

"Não tenho muito o que falar, só agradecer. Resolvi parar porque depois da última lesão eu tinha decidido parar. Me recuperei e fui convencido pelo Caetano (Rodrigo, diretor executivo de futebol) a fazer a pré-temporada para tentar voltar a jogar no Carioca, até pela possibilidade real de uma conquista de título para fechar minha carreira. Mas chegou a hora. Se o Roberto (Dinamite) parou, o Romário e o Zico pararam, não teria como esse dia não chegar", desabafou Juninho.

"Convivi sendo o vovô do time, eu sempre brincava porque no dia a dia era o mais velho, mas na escola para buscar meus filhos era o pai mais novo. Mas no futebol não dá para se divertir, fiz sempre com amor e paixão e também com muita responsabilidade. Entendi cedo minhas deficiências e isso me levou até onde cheguei", emendou Juninho.

No momento de agradecer aos jogadores e as diretorias dos clubes que passou, principalmente no Sport, onde começou, Juninho embargou a voz e chorou. "Foi aqui onde me realizei e me tornei um jogador completo. Cheguei aqui e minha formação não era completa ainda. Aqui aprendi tudo. Eu sou nordestino, vim de Recife e nunca vou deixar de ser. Queria dizer para quem começa lá (jogadores) que dá para conseguir. Obrigado ao Vasco. Mas meu melhor momento individual foi no Lyon. Joguei sempre em altíssimo nível. Essa minha passagem no Vasco me preparou para isso. Para ser o jogador que me tornei", desabafou ele, muito emocionado.

Tags: aposentadoria, ídolo, juninho, s. januário, vascaíno

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.