Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Esportes

Mestre de tai chi chuan completa 40 anos de aulas gratuitas no DF

Jornal do Brasil Andreia Verdélio

O Ano Novo chinês já começou. A festa de comemoração, em Brasília, também foi para o mestre Woo, que há 40 anos pratica o tai chi chuan e repassa os ensinamentos do taoismo à comunidade.

O médico Moo Shong Woo, de 83 anos, nasceu em Taiwan, estudou nos Estados Unidos e mudou para o Brasil em 1961. Ele morou em São Paulo e em Minas Gerais e hoje reside em Brasília. É adepto da medicina chinesa e acupunturista. Em 1974, começou a praticar tai chi na Praça da Harmonia Universal, na Asa Norte, e atraiu outros praticantes e seguidores. “É uma cultura milenar de interiorização. Faz bem para a saúde, o corpo e a mente”, disse mestre Woo.

Ele explica que todas as pessoas podem praticar uma vez que ajuda, inclusive, no bem-estar dos enfermos. “Aqui tudo é gratuito, porque o amor de Deus é gratuito. Essa é a minha missão, o ensinamento não só exterior, mas para que a mente e o espírito possam se elevar”.

A Associação Being Tao surgiu na década de 1980 a partir das práticas do mestre Woo e propõe um estilo de vida diferente. Segundo o presidente da associação, Antônio Prates, que pratica tai chi há praticamente seis anos, mais que uma associação, é um movimento que adota os princípios do taoísmo, como fraternidade, saúde, paz, harmonia nas relações, e inclui a prática do tai chi chuan e a leitura do livro de Lao-Tsé, Tao Te Ching, considerada a Bíblia do taoísmo.

“A prática consiste em uma meditação, alongamento, auto massagem e exercícios de energia, é uma expressão física de uma visão espiritualizada do mundo, da busca da própria essência e da verdade interior, independentemente de qualquer doutrina, mestre ou filosofia”, explica Prates. As práticas acontecem, diariamente, na Praça da Harmonia Universal, às 6h. De segunda a sábado, as aulas são às 7h30 e, às segundas-feiras e quartas-feiras, às 19h.

Em fevereiro, a associação dará início a uma turma de iniciantes aos domingos, a partir das 8h. Também está na programação, para setembro e outubro deste ano, uma excursão à China, para quem deseja conhecer melhor a cultura e praticar o tai chi. “Faça chuva ou faça sol, horário de verão ou não, todos os dias, às 6h, o mestre Woo está lá. É um mestre em todos os sentidos, conhece muito bem o funcionamento do organismo humano e é de uma generosidade extrema, faz esse trabalho sem visar qualquer recompensa”, disse Prates.

Andressa De Bessa, de 22 anos, estudante de artes visuais, pratica tai chi chuan a cerca de seis meses e sentiu uma grande mudança mental. “Eu era uma pessoa completamente confusa e bagunçada e a prática me equilibra em vários aspectos, nos estudos, na vida social, consegui me organizar melhor. Além da questão do equilíbrio físico, passei a ter mais noção do meu espaço e das pessoas ao meu redor”.

Segundo Aristein Woo, filho do mestre Woo, a prática, que foi pioneira no Brasil, atraiu pessoas de outros estados, entre eles o padre Mira, um jesuíta que se interessava pela cultura oriental. Ele explica que o padre montou núcleos da associação em Florianópolis (SC) e no Japão. “Ao lado do padre Mira, existem casos semelhantes e hoje temos núcleos em Florianópolis, Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), e fora do Brasil, em San Marino e Tóquio”.

Aristein, que também é médico acupunturista, faz parte da Gerência de Práticas Integrativas em Saúde, da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, e conta que, em 2006, a partir da observação do governo local do crescimento da prática e dos benefícios apresentados, fez uma parceria com a associação para que fossem capacitados servidores capazes de oferecer a prática nos centros de saúde. “Fizemos duas capacitações, em 2006 e 2011, e, em 2014, teremos outra turma. Atualmente o tai chi chuan é oferecido em 16 pontos de atenção da secretaria, a maioria centros de saúde, para a comunidade local e pessoas em tratamento.”

Os chineses comemoraram a chegada do Ano Novo nos dias 30 e 31 de janeiro. Pelo calendário, 2014 será o ano do Cavalo de Madeira, um bom período para a saúde financeira. Para todos em geral, o ano do Cavalo trará bons ventos, fartura e sorte. 

Agência Brasil


Tags: NOVO, ano, chinês, comemoração, taoismo

Compartilhe: