Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Julho de 2014

Esportes

Com jogos importantes, Salvador prepara esquema especial de segurança

Portal Terra

Em dezembro, o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2014 deu a Salvador a oportunidade de receber alguns dos jogos mais atraentes da primeira fase da competição. Durante o torneio, que acontece entre junho e julho deste ano, a capital baiana receberá Espanha x Holanda, jogo que decidiu a última Copa, Portugal x Alemanha, França x Suíça, Bósnia x Irã, além de um jogo de oitavas e um de quartas de final. Por causa da importância destas partidas, o secretário estadual para Assuntos da Copa (Secopa), Ney Campello, assegurou em entrevista ao Terra que haverá ampliação nos sistemas de segurança da cidade-sede.

"Durante a Copa, o Centro Integrado de Gestão de Emergências, o Cige, funcionará com intensidade, já que o número de câmeras de videomonitoramento irá aumentar muito. Receberemos algumas seleções de grande projeção internacional, e esse cuidado com a segurança naturalmente se torna ainda maior. Desde a Copa das Confederações, há uma articulação com a Interpol no sentido de acompanhar os torcedores desde os seus países de origem, e pretendemos reforçá-la", disse o secretário, sem dar maiores detalhes.

Campello ainda declarou que a partida entre Bósnia e Irã, apesar de não tão atraente em termos de futebol quanto as três partidas anteriores que acontecerão na Fonte Nova durante a fase de grupos, receberá cuidados especiais quanto à segurança. Os dois países tem a maioria da população formada por seguidores do islamismo e já registraram a existência de grupos terroristas em seus domínios.

"Teremos um jogo entre Bósnia e Irã aqui e, apesar de não sermos uma nação com questões internacionais de ódio religioso, teremos de ter cuidados especiais para esta partida, também. Haverá a elaboração de um plano de inteligência específico para observar o acesso dos torcedores ao estádio e a sua movimentação: por onde eles entram, de que maneira se comportam", declarou.

Segundo o secretário, as preocupações com segurança e hospitalidade serão as mesmas também em Santa Cruz Cabrália e Praia do Forte, cidades baianas que receberão, respectivamente, as delegações de Alemanha e Croácia. Campello viajará para Porto Seguro na quinta, onde se reunirá com autoridades locais para definir o planejamento local para recepcionar os alemães.

"Viajo na quinta para Porto Seguro e de lá para Santa Cruz Cabrália, onde faremos algo similar ao que está acontecendo aqui na Fonte Nova. Todos os responsáveis por segurança, mobilidade urbana, aeroporto etc. estarão discutindo comigo uma matriz de responsabilidade para receber a seleção e turistas. Foram investidos mais de 50 milhões de reais para a construção de 1.200 leitos naquela região e precisamos nos preparar melhor para receber esse volume de pessoas. Em Praia do Forte também iremos adotar o mesmo procedimento", informou Campello.

Mais cedo, durante a entrevista coletiva concedida em virtude da última inspeção oficial à Arena Fonte Nova feita pela Fifa e pelo Comitê Organizador Local (COL) antes da Copa do Mundo de 2014, Ney Campello comentou sobre a possibilidade de haver manifestações em Salvador. Em junho do ano passado, o entorno do estádio foi palco de manifestações nos três dias em que Salvador recebeu jogos da Copa das Confederações.

?"Vivemos em um estado democrático de direito. Devemos preservar o direito de o cidadão se manifestar, mas também assegurar o direito de ir e vir, e de assistir aos jogos. Durante a Copa das Confederações o nosso plano de segurança deu certo. Quanto às manifestações, o que vimos não foi oposição à Copa, mas contraposição a ela. As pessoas se manifestaram por saúde e educação no 'padrão Fifa', não contra a realização do evento. Vi muitas pessoas que foram às ruas de cara pintada indo ao estádio depois. Vamos acompanhar o cenário atentamente, mas devemos ressaltar que durante o sorteio dos grupos, em Costa do Sauípe, não existiu qualquer manifestação", disse.

O secretário especial da Copa também apontou o que precisa ser modificado em Salvador e na Fonte Nova para uma melhor realização da Copa do Mundo. Porém, apesar de reconhecer algumas falhas, Campello acredita que a capital baiana está preparada para o Mundial e que os prazos serão cumpridos à risca.

"O evento tem o dobro do número de jogos e de tempo (em relação à Copa das Confederações) e ainda há pontos a serem fortalecidos, como a logística no entorno do estádio, a sinalização na cidade e o funcionamento da venda de comida e bebida no estádio. Estamos preparados. Passamos por alguns grandes testes, como a realização da Copa das Confederações e o sorteio dos grupos, em Costa do Sauípe, além de shows de grande porte na Arena. No fim de março o estádio estará disponível para a FIFA, como consta no cronograma", avaliou o secretário.

Tags: brasil, Copa, estádios, Mundial, Salvador

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.