Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Esportes

Na reestreia, Mano é recebido de joelhos e mostra lado pilhado

Portal Terra

Mano Menezes não é de mostrar muitas emoções. Tem um estilo vibrante à beira do gramado, mas costuma se manter próximo do equilíbrio nas vitórias e nas derrotas. Um comportamento que a torcida corintiana já conheceu e reviu neste domingo, em boa abertura da temporada 2014: 2 a 1 sobre a Portuguesa. Ainda assim, é possível que ele tenha sentido algo diferente e muita surpresa com um fato inusitado.

A situação ocorreu instantes depois do gol de Guilherme, o segundo na vitória. Um torcedor do Corinthians invadiu o campo, atravessou em disparada, deixou cair a camisa cair e seguiu. Correu mais, deixou o óculos cair e seguiu. Tinha o treinador como objetivo. Jovem, aparentava 25 anos, e parou à frente do personagem da tarde. Entregou uma faixa e, de joelhos, parou à frente de Mano, até ser apanhado por seguranças.

Em sua passagem anterior pelo Corinthians, que explica a reverência, Mano foi a duas finais da Copa do Brasil e ficou com o título em 2009, mesmo ano de vitória no Campeonato Paulista. Na Série B 2008, iniciou a reestruturação da equipe com a conquista da Série B. Antes de sair à Seleção, duas temporadas depois, era líder do Brasileiro. Sua missão no retorno é diferente: recuperar o futebol do campeão mundial que sumiu no último semestre, apático. A primeira provação foi vencida e Mano suou para vencê-la.

Na beira do gramado, onde ele quase sempre costuma aflorar suas emoções, praticamente não parou durante os 90 minutos. Reclamou com Danilo e Romarinho por uma chance desperdiçada enquanto o placar era de 0 a 0. No primeiro gol de seu retorno, marcado por Romarinho, bateu palmas rápidas e logo procurou Paulo André para dar instruções. Também parecia muito atento a Guilherme, em quem deu bronca firme e a quem depois parabenizou muito pelo segundo gol. Cobrou a arbitragem, como de costume, do começo ao fim.

Mano estava bastante pilhado, mas deve ter ficado satisfeito com o que viu no seu retorno. A missão quando estreou contra o Paulista de Jundiaí, há cinco anos, era bem mais inglória. O Corinthians que já não é mais de Tite teve boa produção ofensiva contra a Portuguesa: mais deslocamentos, melhor condição física, menos recuo dos jogadores da frente e mais poder de fogo com o retorno inspirado de Paolo Guerrero ao time e ainda destaque para Guilherme, Romarinho, Danilo e o estreante Uendel. Um pouco do trabalho de Mano que já apareceu no Canindé em 13 dias de trabalho.

 

Tags: Campeonato, coringão, mano, Paulista, Vitoria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.