Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Esportes

Kaká diz que Felipão não o procurou e aceita reserva "sem vaidade"

Portal Terra

Kaká saiu do Real Madrid e voltou para o Milan no ano passado com um objetivo expresso em mente: ganhar vaga na Seleção de Luiz Felipe Scolari para jogar a Copa do Mundo de 2014. Por enquanto, ele não foi lembrado pelo treinador após o título do Brasil na Copa das Confederações, mas o meio-campista de 31 anos mantém as esperanças em alta - apesar de admitir, em entrevista à TV Globo, que o contato com Felipão tem sido escasso.

"Na última vez em que conversei (com Felipão) foi quando fui convocado, para jogar contra Itália e Rússia (amistosos em março de 2013). De lá para cá, a gente não tem se falado. Eu tenho esperança de estar lá na lista final, não sei como vai ser, o funil está cada vez mais estreito, mas não posso deixar de tentar. Eu quero muito. Fiquei feliz quando o Felipão deixou a possibilidade aberta, me deu uma motivação a mais", afirmou.

Veterano de três Copas do Mundo, Kaká aceita ser uma opção de luxo no banco de reservas na equipe de Felipão, que parece cada vez mais consolidada e com poucas vagas abertas. "Em uma Copa, esse tipo de vaidade não encaixa. Nunca fui vaidoso em relação a isso (ficar na reserva), poderia ter brigado e saído do Real Madrid no primeiro ano. Sempre fui de brigar e batalhar pelo meu espaço do modo que acho certo", explicou.

Apesar de ter atuado com frequência pelo Milan e ser um dos destaques do time, que faz campanha ruim no Campeonato Italiano, Kaká admite que não está ainda em sua condição física ideal. "Acredito que estou em 75%, 80% de condição. Mas acredito que chego nos 100%. Não sei se vou conseguir, mas vou tentar", disse o meia, que sofreu com lesões de joelho, púbis e musculares nos últimos anos.

Tags: banco, Kaká, Milan, Reservas, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.