Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

País

Marinha nega vazamento de combustível próximo a estação incendiada

Portal TerraDaniel Favero

A Marinha brasileira informou, por meio de nota, que "não foi constatado" vazamento dos 10 mil litros de combustível transportados pela chata (embarcação de transporte) que afundou a aproximadamente 900 metros da Estação Antártica Comandante Ferraz, localizada na ilha King George. Na madrugada de sábado, um incêndio matou dois militares e deixou um terceiro ferido no local. Os militares não deixam claro quando ocorreu o naufrágio, nem especificam se os dois incidentes podem estar relacionados. O fogo teve início na casa de máquinas da estação.

A Marinha cita apenas que a estação é reabastecida durante o verão antártico (de novembro a março) por causa das condições climáticas mais amenas, e que esse transporte é feito por navios da Marinha.

"Durante uma dessas operações de transferência de material do navio para terra, uma de nossas chatas, transportando 10 mil litros de gasoil arctic (combustível para baixas temperaturas), veio a afundar devido à mudança repentina das condições ambientais locais. De acordo com as filmagens obtidas por meio de um veículo submarino de operação remota, conduzido por uma equipe da Marinha, a embarcação se mantém pousada no fundo, com integridade estrutural, a cerca de 40 metros de profundidade e à distância de aproximadamente 900 metros da praia, não tendo sido constatado nenhum vazamento até o presente momento.", diz trecho da nota divulgada pela Marinha.

A Marinha informa ainda que está honrando os compromissos de proteção do meio ambiente e que solicitou o apoio da Petrobras para realizar a operação de reflutuação da chata.

A empresa brasileira teria oferecido o navio Gulmar Atlantis, que deixou a base naval do Rio de Janeiro no dia 16 de fevereiro com chegada prevista para o dia 29 de na estação. Os custos da operação serão arcados pela Marinha, que embarcou no navio para auxiliar na operação meteorologistas, navegadores, mergulhadores e médico hiperbárico.

A operação de reflutuação consiste em envolver a chata com bóias que serão infladas para permitir a elevação com auxílio do guindaste do navio. "Durante a reflutuação serão empregados todos os recursos necessários para a contenção de poluição ambiental", especifica a nota.

Os pesquisadores, militares e demais civis que estavam na estação no dia do incêndio começaram a desembarcar no Chile, país que tem prestado auxílio ao Brasil, durante este domingo.

Tags: antártica, base, comandante ferraz, Estação, Incêndio, Marinha

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.