Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

País - Eleições 2014

Simon anuncia candidatura à reeleição e vai trabalhar pela reforma política

Jornal do Brasil

Durante entrevista coletiva nesta segunda-feira, em Porto Alegre, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) anunciou sua candidatura à reeleição pelo PMDB do Rio Grande do Sul. Concorre em substituição a Beto Albuquerque, que deixou a chapa para compor como vice de Marina Silva, candidata à presidência pelo PSB. Simon declarou que vai continuar sua linha de defesa de princípios éticos na política, e deverá trabalhar pela reforma política, “para reformular o nosso já esgotado sistema representativo”. 

"As manifestações que levaram mais de um milhão de pessoas às ruas, no ano passado, deixaram claro que a população deseja mudanças profundas no sistema político brasileiro, medidas que sejam capazes de reforçar a transparência e a participação popular", declarou Simon aos jornalistas, na sede do diretório estadual do PMDB do Rio Grande do Sul. 

Senador gaúcho desiste da aposentadoria para ajudar Marina Silva
Senador gaúcho desiste da aposentadoria para ajudar Marina Silva

Entusiasta das redes sociais, o senador alerta para a necessidade de mais mobilizações, “para que as mudanças aconteçam”.

Simon decidiu disputar a reeleição, abandonando a ideia de aposentadoria que vinha anunciando, para atender a um pedido dos partidos que compõem a coligação "O novo caminho para o Rio Grande", formada por PMDB,PSB, PSD, PPS, PHS, PTdoB, PSL e PSDC. O candidato ao governo é o ex-deputado e ex-prefeito de Caxias do Sul José Ivo Sartori, do PMDB, que apoiava Eduardo Campos e, agora, segue na aliança com Marina Silva. 

A candidatura de Pedro Simon foi registrada hoje no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ele concorre com o número 151, e terá como suplentes Antônio Hohlfeldt (PMDB) e Rejane Carvalho (PPS).

Ao justificar a sua volta às urnas, Simon - que tinha o projeto de percorrer o Brasil proferindo palestras e debatendo o futuro do país -, disse que agora tem a missão de ajudar Sartori e dar sustentação ao futuro governo de Marina Silva na presidência da República. "Volto neste momento de decisão e uma forte razão é eleger e colaborar com Marina Silva. É como disse o nosso querido Eduardo: não vamos desistir do Brasil", mencionou Simon.

Indagado sobre a possibilidade de terminar sua carreia política com uma derrota pela impossibilidade de fazer uma campanha mais forte e com menos tempo na busca por votos em relação aos seus adversários, Simon afirmou que vai fazer sua parte: ”não sei como vai ser a repercussão, se vai cair no ridículo, vou fazer o que tenho que fazer, a minha parte”.

Agronegócio

Algumas perguntas exploraram a possibilidade de ocorrerem divergências entre setores do agronegócio e as propostas ambientalistas defendidas por Marina Silva. Simon minimizou o impacto dessas aparentes contradições, e contou que numa palestra recente no Rio Grande do Sul, a candidata “foi aplaudida por produtores rurais”. 

O senador considera que “todos evoluíram nesse aspecto, tanto o agronegócio quanto os ambientalistas, convergindo para o desenvolvimento  sustentável, cada vez mais uma realidade mundial”.

Tags: Eleições, entrevista, RS, senado, Simon

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.