Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Julho de 2018 Fundado em 1891

País - Editorial

Sobre a carta de Lula

Jornal do Brasil

Como estava previsto, sem representar maior surpresa, nosso jornal foi muito elogiado, e também criticado, agudamente, por termos decidido publicar, em sua edição de ontem, uma carta do ex-presidente Lula sobre a atualidade política. E o fizemos – é preciso que fique bem claro – sob inspiração estritamente do dever jornalístico, pois tratava-se, antes de tudo, da missiva de um ex-presidente da República; esse mesmo ex-presidente que, gostem ou não, queiram ou não, continua se mantendo como protagonista privilegiado da política nacional. Trata-se de um fato objetivo. Prova suficientemente clara disso são as pesquisas, particularmente a que realizou nesta semana o Ibope, colocando o ex-presidente, mesmo preso, com o dobro de intenção de votos que se  pretende dar ao “capitão” Bolsonaro, o segundo colocado. Fato é fato.

Quando a referida carta chegou à nossa mão, por intermédio da jornalista Hildegard Angel, não tivemos dúvidas de que se tratava de documento de extrema relevância para o quadro político do momento, na medida em que, mesmo preso e supostamente impedido de concorrer à eleição de outubro, Lula, líder em todas as pesquisas, afirma que será candidato à Presidência. Cabe ao jornal, em decorrência, lembrar que se tratou de uma afirmação tácita; talvez mais que isso: uma disposição de luta que ele adota. Se fosse apenas por isso, sem qualquer outro concurso de relevância, a notícia já mereceria espaço e destaque em nosso jornal, cujo objetivo será sempre, de forma isenta e apartidária, informar, o que recomenda lembrar que se trata de um dever, sem a preocupação de agradar a quem quer que seja. E, assim, fizemos.

Da mesma forma foi também quando contratamos, junto ao Instituto Paraná, uma pesquisa de intenção de votos, exclusivamente com os eleitores do Estado do Rio de Janeiro. O resultado mostrou o pré-candidato Jair Bolsonaro em primeiro lugar. E assim publicamos, sem restrições. Agora, sem ferir o respeito ao princípio de isonomia, a carta do ex-presidente Lula chega aos leitores para sua avaliação e as conclusões que considerarem justas e apropriadas. E o fizemos. Em manchete, tal como a notícia sobre a liderança do ex-capitão nas intenções de voto no Rio de Janeiro. Certamente, os críticos à conduta aqui adotada, sobretudo os mais sectários, devem ter se esquecido dos nossos compromissos com a imparcialidade; atitude assumida, mais uma vez, quando adotamos igual destaque e importância para fatos relevantes.

E, assim, o JORNAL DO BRASIL vai continuar fiel ao seu destino de defender a democracia. E os interesses nacionais, hoje vilipendiados por quem está no poder, e, como destacou Lula, são grandes interesses do país sujeitos ao ataque dos que não têm maiores compromissos com os brasileiros. Os mesmos que, cabe lembrar por oportuno, para o alívio e o bem desta nação, deixam o poder em janeiro, por força da manifestação das urnas de outubro.

Seja quem for que estiver à frente na preferência do eleitor, terá neste jornal espaço reservado e sagrado, sempre em nome da verdade e da defesa do Brasil. Não haveria de ser outro o rumo de um jornal cuja história se confunde com as grandes lutas pela democracia e pela grandeza de nossa sociedade.



Tags: bolsonaro, carta, eleições, jb, lula, presidência

Compartilhe: