Jornal do Brasil

Sábado, 18 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Economia

Japão festeja crescimento do PIB

Jornal do Brasil

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão cresceu 1,9%, em base anualizada, entre abril e junho, superando a previsão de analistas de aumento de 1,4%. 

O número veio após contração revisada de 0,9%, maior do que as estimativas iniciais, no trimestre anterior, que pôs fim à melhor fase de crescimento desde a bolha econômica dos anos 1980.

No segundo trimestre do ano, a economia japonesa avançou 0,5%, impulsionada , principalmente, pelo consumo das famílias, fator-chave no quadro da “Abenomics”, a estratégia de crescimento econômico do governo liderado por Shinzo Abe, e que visa encerrar o ciclo deflacionário que afeta o Japão há quase duas décadas. No Brasil, a expectativa é de queda de até 0,5% no PIB do segundo trimestre do ano.

O governo japonês tem pressionado o setor privado a elevar os salários de modo a revitalizar a terceira economia mundial, potenciando o principal motor de crescimento: o consumo.

Os investimentos de capital corporativo, outro elemento de peso na economia nipônica, subiram 5,2% em termos anuais e 1,3% em relação aos três meses anteriores. As exportações mantiveram a tendência de crescimento, avançando 0,8%, em relação a 2018, e 0,2% ante o trimestre anterior.

Em contrapartida, o investimento público desceu 0,5% e 0,1% em temos anuais e trimestrais, respetivamente.

Alemanha

O crescimento econômico do Reino Unido acelerou a 0,4% no segundo trimestre, auxiliado pelo tempo bom e a Copa do Mundo, anunciou ontem o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS). 

O PIB britânico avançou após a leve alta de 0,2% no primeiro trimestre, mas o ONS adverte que a tendência geral continua sendo de desaceleração da economia com a aproximação da saída do Reino Unido da União Europeia (Brexi), prevista para o fim de março de 2019.

Com  0,4% entre abril e junho, o crescimento supera o  registrado pela  zona do euro, de 0,3% no segundo trimestre. A economia britânica se beneficiou no segundo trimestre da maior atividade nos setores de serviços (+0,5%) e construção (+0,9%). A produção industrial, porém, registrou contração de 0,8%.



Tags: analistas, economia, governo, japonês, pib

Compartilhe: