Jornal do Brasil

Domingo, 24 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Mercados na expectativa pela alta dos juros pelo Fed nesta quarta

Jornal do Brasil GILBERTO MENEZES CÔRTES gilberto.cortes@jb.com.b

Na véspera do vencimento do mercado do índice Bovespa, hoje, o Ibovespa fechou ontem com alta de 0,62%, a 72.754 pontos, interrompendo cinco pregões seguidos de baixa. Os dois principais destaques do dia foram os papéis da Vale, que subiram 1,76%, e os da B3, com valorização de 2,83%. Outro papel muito procurado foi Embraer, que subiu 6,12% a R$ 24,78, com a especulação de que o governo já tinha aprovado a associação da empresa com a Boeing. 

Na máxima da sessão, o Ibovespa chegou a subir 1,4%, mas muito abaixo, ainda do nível de 85.980 pontos do fechamento do índice em 18 de abril. Se nada mudar  hoje, será um vencimento dos que apostaram na baixa (e tiveram a sorte do mercado virar de ponta cabeça com a greve dos caminhoneiros, a escalada do dólar) e as mudanças na Petrobras. O mercado está em compasso de espera pela alta dos juros pelo Fed hoje. 

A ânsia dos que casaram operações de venda do Ibovespa futuro com aposta de alta nos juros futuros (DI que vencem no fim do mês) gerou ontem os mais absurdos boatos  no mercado. Uma das versões (cujo ensaio na semana passada era de uma reunião extra do Copom para aumentar a Selic, em 6,50% ao ano) dizia que as apostas de altas nos juros futuros embutiam duas altas de 0,50 ponto percentual até o fim do ano (inclusive com dúvidas se já não haveria o salto na reunião do Copom em 20 de junho). 

Estão lendo o calendário de 2019, ano em que a Selic subiria para 8%. O Copom este ano só fez alterações de 0,25 ponto percentual. Por que iria elevar em patamares tão elevados os juros, se o Fed também usa da mesma graduação? E as projeções do Itaú (e do Bradesco) são de que a Selic fecha o ano em 6,50%. Para o Itaú, os aumentos só ocorreriam no terceiro trimestre de 2019. No meio desse tiroteio, o dólar subiu 0,13%, fechando a R$ 3,72.



Tags: bolsa, bovespa, cotação, eua, mercado

Compartilhe: