Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Quarto dia de greve agrava falta de combustível em postos de todo o País

Jornal do Brasil

A continuidade da greve dos caminhoneiros - que, além da paralisação do transporte, inclui o bloqueio de refinarias e distribuidoras - está aumentando rapidamente o número de praças sem combustível no País. Comunicados encaminhados por sindicatos regionais para a Fecombustíveis, que representa aproximadamente 40 mil postos revendedores de combustíveis, relatam "desabastecimento generalizado" em cidades gaúchas, redução drástica dos estoques na Bahia e escassez completa de combustíveis em municípios do Paraná.

No Rio de Janeiro, conforme informa o sindicato que representa os revendedores da cidade, falta combustível em metade dos postos da cidade e esse número deve chegar a 90% até o fim do dia.

Motoristas fazem filas em posto de gasolina no Rio, onde combustível já começa a faltar

Segundo informa a entidade, apenas um posto no bairro de Botafogo tem, neste momento, os três principais produtos à venda: gasolina, etanol e diesel.

Ainda segundo relatos recebidos pela Fecombustíveis, o número de postos sem combustível nas bombas cresce rapidamente em grandes centros urbanos do Paraná, como as cidades de Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu.

Dois municípios da Região Metropolitana de Curitiba - Itaperuçu e Rio Branco do Sul - chegaram ao quarto dia da greve dos caminhoneiros sem qualquer combustível.

No litoral do Paraná, a maior parte dos postos já não tem mais combustível. Já no interior paranaense, os motoristas não encontram mais gasolina e etanol nas cidades de Ponta Grossa e União da Vitória.

A situação também é crítica no Mato Grosso, principalmente em cidades do interior do Estado. Foram confirmados postos sem produto em Tapurah, Primavera do Leste, Nova Xavantina, Diamantino e Juína. Na Grande Cuiabá, revendedores têm estoques só para esta quinta-feira.

>> Bovespa: ações da Petrobras caem mais de 13%

>> Preço do diesel com queda de 10% vale a partir de hoje

>> Greve só acaba com publicação da isenção de impostos no DOU, diz Abcam

>> Combustíveis escasseiam no Rio e preço do litro do diesel chega a R$ 5,20



Tags: abastecimento, ato, caminhão, governo, greve, protesto

Compartilhe: