Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Ministros se reúnem com representantes de entidades de caminhoneiros

Jornal do Brasil

Ministros se reúnem com representantes de entidades de caminhoneiros no Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira, 24. Pelo governo, estão os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Valter Casimiro (Transportes) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional). Além deles, o diretor geral da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues, também participa pelo governo. O encontro estava marcado para 14h.

Entre os caminhoneiros, há vários grupos que representam os manifestantes: Fetrabens, CNTA, Abcam, Unicam, Sindicam/DF, Sinditac de Ijuí/RS, Sinaceg, CNT, NTU, Federação dos Trabalhadores Autônomos de Carga e Transporte Forte. Há, ainda, representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e do Ministério da Agricultura.

Caminhoneiros obstruem tráfego na BR-040, na altura de Valparaíso de Goiás

Abcam: Greve só acaba com publicação da isenção de impostos no DOU

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) informou na manhã desta quinta-feira, antes da reunião com os ministros, que o movimento de paralisação da categoria só terminará quando a redução de impostos dos combustíveis for publicada no Diário Oficial da União (DOU). A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da entidade, que mencionou que o movimento "não acredita mais nas promessas do governo" e que, por isso, a paralisação só terminará quando a decisão "virar lei".

Mais cedo, o presidente Abcam, José da Fonseca Lopes, havia dito em entrevista à Rádio Eldorado que as manifestações poderiam ser suspensas nesta tarde, desde que o projeto que prevê zerar a PIS-Cofins sobre o óleo diesel fosse aprovado pelo Senado. Líderes do movimento terão encontro com a cúpula do governo federal às 14h no Palácio do Planalto.

Na noite de quarta-feira (23), a Petrobras anunciou a redução do preço do diesel em 10% e a manutenção desses preços por 15 dias. Aparentemente consternado, o presidente da estatal, Pedro Parente, revelou que, após o período, a política de reajuste de preços da empresa voltará a ser praticado. 



Tags: caminhoneiros, dyogo oliveira, forca policial, greve, jungmann, marcelo pinheiro

Compartilhe: