Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, com Milão em forte baixa

Jornal do Brasil

As bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta quarta-feira, 16. O mercado que esteve mais em foco foi o de Milão, com queda acentuada diante dos temores dos investidores sobre a plataforma do provável novo governo da Itália. Além disso, houve cautela em geral com as incertezas na arena geopolítica, em meio às dificuldades na aproximação entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte.

Indicadores foram monitorados e, no câmbio, o enfraquecimento do euro e da libra ajudaram algumas ações de exportadoras.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,22%, em 393,22 pontos.

A Coreia do Norte ameaçou abandonar o diálogo com os EUA e cancelar a reunião agendada para 12 de junho, em Cingapura, entre o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

O regime de Pyongyang fez isso após saber sobre treinamentos militares conjuntos entre os EUA e a Coreia do Sul. A notícia aumentou as indefinições nesse diálogo, no qual Trump deseja conseguir que os norte-coreanos desistam de seu programa nuclear e de mísseis.

Na agenda de indicadores, a inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 1,2% na comparação anual de abril, desacelerando ante o avanço de +1,3% de março, mas em linha com o previsto pelos analistas. Na Alemanha, o índice de preços ao consumidor ficou estável no mês e subiu 1,6% na comparação anual de abril.

Na Itália, pode ser fechada uma coalizão de governo entre dois partidos antiestablishment, o Movimento 5 Estrelas e a Liga. A divulgação pelo Huffington Post de que as siglas poderiam defender a permissão para que países deixassem o euro e também queriam o perdão de 250 bilhões de euros (US$ 297,13 bilhões) em dívida do país impôs um quadro negativo no mercado acionário local.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB fechou em baixa de 2,32%, em 23.734,22 pontos. Telecom Italia caiu 4,09%, antes de divulgar balanço, e UniCredit teve perda de 4,72%.

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou com ganho de 0,15%, a 7.734,20 pontos. Entre as ações em foco, Paddy Power Betfair subiu 6,3%, após confirmar que negocia uma fusão com o site americano FanDuel. Papéis de mineradoras também ajudaram, como Glencore (+3,63%), BHP Billiton (+1,87%) e Antofagasta (+1,71%). Já no setor bancário, Barclays teve baixa de 1,28%.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, subiu 0,20%, a 12.996,33 pontos. Entre as ações mais negociadas, Deutsche Bank e Commerzbank recuaram 2,68% e 6,07%, respectivamente, mas Steinhoff avançou 6,80%. Infineon Technologies teve ganho de 0,41% e Siemens, de 0,69%.

Em Paris, o CAC-40 avançou 0,26%, a 5.567,54 pontos. A petroleira Total recuou 0,67% e o banco BNP Paribas teve baixa de 1,46%, mas Vivendi subiu 0,65% e Airbus teve ganho de 0,15%, após oscilar durante o pregão.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 caiu 0,95%, a 10.111,00 pontos. O setor bancário espanhol se saiu mal, com Santander em queda de 2,52% e Banco de Sabadell, de 4,19%. ArcelorMittal, por sua vez, subiu 1,08%, mas Iberdrola perdeu 0,70%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 recuou 0,07%, a 5.695,67 pontos. (Com informações da Dow Jones)



Compartilhe: