Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Petróleo recua após alta recorde motivada por dados dos EUA

Jornal do Brasil

Os barris de petróleo negociados em Londres e Nova York registram queda nesta quinta-feira (22), após a alta recorde registrada na quarta-feira, motivada pela queda nos estoques de petróleo dos Estados Unidos, e também na esteira do otimismo em um reequilíbrio do mercado. O feriado de Ação de Graças nos EUA também o mercado.

Analistas projetavam uma queda de 1,5 milhão de barris nos estoques de petróleo, e a EIA apontou para queda de 1,8 milhão de barris. A produção, por outro lado, ficou em 9,658 milhões de barris por dia na semana passada.

A TransCanada, operadora do oleoduto Keystone, informou nesta semana uma redução no  fluxo de petróleo para os EUA, em 85% até o fim deste mês, após um vazamento, o que pode gerar maior queda nos estoques norte-americanos.

Às 9h46, o barril de Brent para janeiro negociado na ICE, em Londres, tinha queda de 0,60%, a US$ 62,94. Já o barril de WTI para entrega em janeiro, negociado no Nymex, em Nova York, recuava 0,24%, a US$ 57,88.

Às 15h58, o barril de WTI tinha alta de 0,88%, a US$ 58,53. No mesmo horário, o barril de Brent tinha alta de 0,21%, a US$ 63,45. 

As últimas semanas garantiram recuperação à commodity, com a expectativa do mercado de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), na reunião do dia 29 de novembro, em Viena, firme uma extensão dos cortes de produção iniciados em janeiro deste ano e com previsão de término para março do ano que vem. 

Os barris de petróleo, que custavam em torno dos US$ 100 até o final de 2014, chegaram abaixo de US$ 30 no ano passado.

>> Jim O’Neill no 'Project Syndicate': A irregularidade do petróleo

>> 'Financial Times': Traders de commodities miram escala de participação no mercado



Tags: barril, brent, estados unidos, opep, petróleo, plataforma, preço, produção, wti commodities

Compartilhe: