Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Petróleo fecha em alta com declarações da Arábia Saudita

Jornal do Brasil

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta sexta-feira (17), após novos sinais por parte da Arábia Saudita de apoio à extensão no acordo de cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). 

Um vazamento no oleoduto de Keystone, o dólar mais fraco e o relatório semanal da Baker Hughes também colaboraram com os ganhos.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para janeiro fechou em alta de 2,46%, a US$ 56,71 por barril. Já na Intercontinental Exchange (ICE), o barril do petróleo tipo Brent para o mesmo mês avançou 2,22%, a US$ 62,72. 

A alta desta sexta marcou um pequeno respiro nas quedas vistas nos últimos dias. Os preços devem cair entre 2% e 4% para a semana.

Um acordo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros produtores, como a Rússia, para limitar a produção de petróleo, aumentou os preços nos últimos meses, e se espera que o acordo seja estendido na próxima reunião do grupo no dia 30 de novembro.

A Arábia Saudita sinalizou a vontade de estender os cortes, que expiram em março de 2018. O ministro da Energia, Khalid al-Falih, disse na quinta que os objetivos para reduzir o excedente global de petróleo não seriam atingidos no tempo.

O principal obstáculo da OPEP no aperto do mercado são os Estados Unidos, onde a produção de petróleo bruto atingiu um recorde de 9,65 milhões de barris por dia (bpd) este mês, o que significa que a produção dos EUA aumentou quase 15% desde a baixa máxima mais recente em meados de 2016.

Às 9h27, o barril de Brent para janeiro, negociado na International Exchange Futures (ICE), em Londres, avançava 1,03%, a US$ 61,99. Já o barril de WTI para entrega em dezembro, negociado no New York Mercantile Exchange (Nymex), em Nova York, operava em alta de 1,47%, a US$ 55,95.

Às 12h58, o Brent avançava 1,01%, a US$ 61,98, já o WTI registrava ganhos de 1,54%, a US$ 55,99.



Tags: acordo, alta, baixa, brent, opep, petroleo, wti

Compartilhe: