Jornal do Brasil

Domingo, 19 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Economia

Petróleo fecha em queda nesta terça

Jornal do Brasil

Os barris de petróleo fecharam em queda nesta terça-feira (14), após a publicação de um relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), que prevê que os Estados Unidos liderarão um aumento na produção global nas próximas décadas.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro fechou em baixa de 1,47% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 62,24. O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em baixa de 1,86%, cotado a US$ 55,70.

O AIE prevê que a demanda por petróleo crescerá 30% até meados da década de 2020, começando a reduzir na sequência, por causa da maior eficiência tecnológica e da ampliação do uso de energias alternativas. Por outro lado, o órgão estima que os EUA se estabelecerão como principal produtor de petróleo e gás do mundo até 2040, inclusive em um contexto de baixos preços.

Já os contratos de gasolina para entrega em dezembro caíam US$ 0,03, para US$ 1,76 o galão, enquanto os contratos de gás natural para entrega no mesmo mês desceram US$ 0,07, até US$ 3,10 por cada mil pés cúbicos.

Às 9h58, o barril de Brent para janeiro negociado na ICE, em Londres, tinha queda de 0,51%, a US$ 62,84. Já o barril de WTI para entrega em dezembro, negociado no Nymex, em Nova York, recuava 0,49%, a US$ 56,48.

Às 13h05, o Brent recuava 0,98%, a US$ 62,54. Já o WTI registrava perda de 1,06%, a US$ 56,16.

Na quarta-feira passada, o barril de Brent chegou a US$ 64,65, maior valor desde junho de 2015, e o de WTI ficou em US$ 57,92, o melhor nível desde julho daquele ano.

As últimas semanas garantiram recuperação à commodity, com a expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), na reunião do dia 29 de novembro, em Viena, firme uma extensão dos cortes de produção, iniciados em janeiro deste ano e com previsão de término para março do ano que vem. 

A Opep firmou um pacto em novembro do ano passado para congelar cerca de 1,8 milhão de barris diários até junho. Em maio, o prazo foi ampliado em nove meses, até março de 2018. O secretário-geral da Opep, Mohammed Barkindo, informou anteriormente que consultas estavam em andamento para uma possível extensão e adesão de mais países. 

Os barris de petróleo, que custavam em torno dos US$ 100 até o final de 2014, chegaram abaixo de US$ 30 no ano passado, devido ao excesso de oferta global.



Tags: acordo, alta, baixa, brent, opep, petroleo, wti

Compartilhe: