Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Economia

'Le Monde': Crescimento do agronegócio da "bancada ruralista" explica complacência de Temer

Governo quer relegar questões ambientais e direito do trabalho ao fundo

Jornal do Brasil

Após uma recessão histórica, marcado por um colapso do produto interno bruto (PIB) - 3,7% em 2015 e - 3,5% em 2016, o crescimento tornou-se positivo no primeiro trimestre (1%), sugerindo um aumento modesto do PIB de 0,7% em 2017, informa matéria publicada pelo Le Monde nesta sexta-feira (20). 

O diário destaca que um dos principais motores da melhoria do início do ano foi a agricultura (responsável por 0,8 pontos de crescimento de 1%).

Monde acrescenta que como prova dessa robustez, o instituto Intellicom prevê para 2017 um aumento de 8,5% no setor, em comparação com 0,6% para a indústria e - 0,1% para os serviços. A disparidade é refletida geograficamente, com um crescimento de 5,1% estimada no Estado de MT, contra 0,5% na São Paulo - 1,4% no Rio falência.

"Tivemos uma colheita perfeita", diz Marcos Fava Neves, agrônomo e professor da Universidade de São Paulo (USP). Mas as temperaturas ideais e as chuvas não explicam tudo. "O setor ultra competitivo usa tecnologias avançadas, exportações para a China e África; é rico em empregos e pode desenvolver cidades no interior do país ", diz ele.

Crescente representação política dos agricultores no Congresso através da "bancada ruralista", o lobby do agronegócio, em parte explicam a complacência de Michel Temer
Crescente representação política dos agricultores no Congresso através da "bancada ruralista", o lobby do agronegócio, em parte explicam a complacência de Michel Temer

O setor agrícola, que agora é estratégico para a economia emergente, foi impulsionado pela chegada de Luiz Inácio Lula da Silva em 2003 e pelo aumento do preço das matérias-primas, ressalta Le Monde. 

Tanto que os analistas, que descrevem a China como a "oficina do mundo" e a Índia como seu "escritório", apresentam o Brasil como sua "fazenda", aponta o vespertino.

O noticiário observa uma "desindustrialização precoce" no Brasil e avalia que esse controle sobre a economia e a crescente representação política dos agricultores no Congresso através da "bancada ruralista", o lobby do agronegócio, em parte explicam a complacência de Michel Temer. 

Ansioso por convocar membros do setor para evitar que sejam apanhados em negócios ilícitos, o Governo Temer quer inclusive relegar questões ambientais e direito do trabalho ao fundo, finaliza.

>> Le Monde

Tags: brasil, carne fraca, fugu, internacional, mídia, peixe, pescado, temer

Compartilhe: