Jornal do Brasil

Domingo, 19 de Novembro de 2017

Economia

Bovespa opera em baixa, recuando de máximas nos três pregões prévios

Jornal do Brasil

O principal índice da bolsa de valores de São Paulo opera em baixa nesta quinta-feira (14), com o mercado atento à possibilidade de uma nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer. Nos últimos três pregões, a Bovespa fechou em máximas recordes.

A queda também é justificada pela realização de lucros após as últimas altas. A pressão negativa do exterior também ajuda a manter o índice em baixa, com as bolsas europeias e os índices de Nova York em queda.

O Dow Jones, S&P500 e Nasdaq deram início aos negócios com perdas. O recuo do minério de ferro no mercado chinês, com queda de 3,36% também impactam os resultados na bolsa paulista.

Às 11h03, o Ibovespa caía 0,14%, a 74.684 pontos. Os frigoríficos JBS e Marfrig lideravam as pontas positivas e negativas do pregão, com alta de 3,99% e queda de 3,62%, respectivamente.

Na parte da tarde índice seguia em queda, às 16h28 prestes a se aproximar do fechamento, a Bovespa registrava queda de 0,17%, a 74.660 pontos.

Na última quarta-feira (13), o índice teve alta de 0,33%, aos 74.787 pontos, atingindo um patamar recorde. Nos últimos dois pregões, a Bovespa já tinha atingido sua pontuação máxima, culminando em 74.538 pontos na terça.

Já o dólar começou o dia em alta em relação ao real, repercutindo a apreensão com a cena política brasileira. Durante a manhã, o Banco Central brasileiro não anunciou intervenções no mercado de câmbio na sessão. 

Às 11h10, a moeda norte-americana tinha alta de 0,03%, vendida a R$ 3,1376.

Porém, no fim da tarde a moeda havia revertido o sentido e passou a cair. Próximo ao fechamento, o dólar registrava recuo de 0,66%, a R$ 3,117 na venda.

Tags: bovespa, dólar, movimento, previdência, proposta, resultado

Compartilhe: