Jornal do Brasil

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

Economia

Responsabilidade social é a palavra da vez para as startups

Empreendedores também querem fazer algo que impacte positivamente o ambiente 

Jornal do Brasil

Quando falamos em startups, logo vem à mente alguma ideia relacionada à tecnologia e inovação. Mas criatividade também tem a ver com responsabilidade. O que significa apresentar um impacto positivo na sociedade. E se tem alguém que tem essa sensibilidade social é o empreendedor brasileiro.

Seja por meio da educação, da inclusão no mercado de trabalho ou de ações que preservem o meio ambiente, startups estão apostando na junção da tecnologia com a iniciativa da responsabilidade social para a fazer a diferença. Listamos abaixo cinco startups que estão indo por este caminho. Veja:

Greenclick

Neutralizar a emissão de CO2 na atmosfera. Essa é a missão da startup de certificação socioambiental Greenclick. Em seu primeiro ano de atividade, a startup já conseguiu neutralizar três toneladas de CO2 provenientes de quatro milhões de pageviews dos sites de seus parceiros. Atualmente, cerca de 70 corporações já aderiram ao selo para compensar a emissão de dióxido de carbono dos seus sites. O objetivo do selo GreenClick é reduzir o impacto de CO2 dos datacenters que mantêm uma página na internet. O número de visitas (pageviews) é convertido em árvores plantadas e a certificação fica publicada no site do parceiro com informações sobre o plantio, fotos das mudas e a quantidade (em quilo) de gás carbônico neutralizado visíveis a qualquer tempo. 

CaridadX

Financiar causas sociais para pessoas que precisam de ajuda financeira para tratamentos médicos, como compra de remédios e cirurgias. Foi com esse objetivo que a startup CaridadX nasceu. Criada pelo empreendedor de Curitiba  Sérgio Mainetti, a plataforma, no ar desde janeiro de 2014, já foi responsável por promover 2 mil doações para cerca de 320 causas, o equivalente a R$ 120 mil movimentados. Para criar uma causa, basta uma pessoa realizar o cadastro no site de forma gratuita e a plataforma criará uma página específica para ela. Já para doar, basta que o usuário clique no botão "Ajudar" e ele será direcionado para a página do pagamento. Doações não possuem preço ou cotas fixas, cabe a cada pessoa decidir o quanto doará.

Me Salva!

Complementar o conteúdo de alunos do ensino médio e superior. Esse é o objetivo do jovem Miguel Andorffy, de 25 anos. Baseado na sua experiência em transmitir seus conhecimentos em disciplinas que os demais estudantes têm dificuldades, Andorffy criou o Me Salva!, uma plataforma educacional com vídeo-aulas, simulados, exercícios e outros conteúdos para auxiliar alunos. Criada em 2014, a startup já conta com mais de 70 milhões de aulas assistidas e espera atingir este ano 15 milhões de estudantes. Além das aulas de cálculo e matérias fundamentais, já presentes na plataforma, o Me Salva! espera aumentar a galeria com disciplinas específicas de saúde, administração e economia, além de aumentar seu corpo docente de 40 para 60 professores.

Eu Entrego

Recolocar pessoas que perderam seus empregos por meio de uma plataforma colaborativa. Esse é o objetivo do empreendedor João Paulo Camargo, de 35 anos. Ele criou o Eu Entrego, um aplicativo que conecta pessoas e empresas à comunidade de entregadores independentes, oferecendo uma alternativa fácil, flexível e de baixo custo para levar ou trazer qualquer coisa de qualquer lugar 24 horas por dia, sete dias por semana. Funciona como uma espécie de "Uber" das entregas. A plataforma já conta com 2000 entregadores. Um dos objetivos é utilizar pessoas que circulem pelas grandes cidades e que  possam realizar essas entregas. Recolocar profissionais no mercado de trabalho é uma das premissas dessa startup de economia colaborativa.

TRAFI

Auxiliar pessoas que utilizam transporte público nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Esse é o objetivo do aplicativo criado pela startup TRAFI. o aplicativo permite que usuários de transporte público acompanhem em tempo real os horários e localização de ônibus e trens nas cidades. Por meio da plataforma - de uso gratuito -, o usuário acompanha em tempo real a localização do ônibus no mapa e consegue planejar rotas de deslocamento da cidade mesmo sem internet. Desenvolvido na Lituânia, o aplicativo conta atualmente com aproximadamente 1 milhão de usuários e foi lançado no Brasil no ano passado.

Tags: ajuste, cartão, cheque, dinheiro, economia, reunião, taxas

Compartilhe: