Jornal do Brasil

Sábado, 30 de Julho de 2016

Economia

Riqueza de 1% da população supera a dos 99% em 2015, diz Oxfam

"O fosso aumentou de forma dramática nos últimos 12 meses", diz relatório

Jornal do Brasil

A riqueza acumulada dos mais ricos do mundo, que fazem parte de um grupo que corresponde a 1% da população mundial, superou a riqueza dos 99% restantes no ano passado, informou a organização não governamental (ONG) Oxfam nesta segunda-feira (18). A projeção era que tal resultado se concretizasse apenas em 2016, mas tal disparidade veio antes. 

"O fosso entre a parcela dos mais ricos e o resto da população aumentou de forma dramática nos últimos 12 meses", diz relatório da ONG britânica, chamado Uma economia a serviço de 1%

"No ano passado, a Oxfam estimava que isso fosse ocorrer em 2016. No entanto, aconteceu em 2015, um ano antes", completa o texto. Nesta quarta-feira (20), terá início o Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça.

Para combater o crescimento das desigualdades, a Oxfam pede o fim da "era dos paraísos fiscais" (Na foto, em Porto Príncipe, biscoito feito de barro, água e manteiga)
Para combater o crescimento das desigualdades, a Oxfam pede o fim da "era dos paraísos fiscais" (Na foto, em Porto Príncipe, biscoito feito de barro, água e manteiga)

A organização estima que "62 pessoas têm tanto capital como a metade mais pobre da população mundial", Enquanto há cinco anos a riqueza de 388 pessoas era equiparada à riqueza de metade da população mundial, agora apenas 62 pessoas da parcela mais rica do mundo têm capital proporcional à metade da população mais pobre.

O relatório é divulgado a dois dias do Fórum Econômico Mundial de Davos, evento que vai reunir líderes políticos e representantes das empresas mais influentes do mundo. Com isso, a Oxfam pede uma ação para transformar esta realidade.

De acordo com a ONG, "desde o início do século 21 a metade mais pobre da humanidade se beneficia de menos de 1% do aumento total da riqueza mundial, enquanto a parcela de 1% dos mais ricos partilharam metade do mesmo aumento".

Para combater o crescimento das desigualdades, a Oxfam pede o fim da "era dos paraísos fiscais", informando que nove em cada dez empresas entre "os sócios estratégicos" do Fórum Econômico Mundial de Davos "estão presentes em pelo menos um paraíso fiscal".

"Devemos abordar os governos, as empresas e as elites econômicas presentes em Davos para que se empenhem a fim de acabar com esta era de paraísos fiscais, que alimenta as desigualdades globais", destacou Winnie Byanyima, diretor-geral da Oxfam International, que estará em Davos.

Davos vai acolher a partir desta quarta-feira (20) líderes políticos e empresários para debater a 4ª Revolução Industrial. A 46ª edição do fórum, que termina em 23 de janeiro, ocorre no momento em que o medo da ameaça terrorista e a falta de respostas coerentes para a crise de refugiados na Europa se juntam às dificuldades econômicas e ameaças de uma nova crise global.

* Com 'Agência Brasil' e 'Agência Lusa'

Tags: acumulação, capitalismo, crise, desigualdade, Mundial, pobres, POPULAÇÃO, ricos, riqueza

Compartilhe: