Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Economia

Projeção de crescimento da economia este ano cai para 0,81%

Jornal do Brasil

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia, este ano, caiu mais uma vez. Na 11ª revisão seguida, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, caiu de 0,86% para 0,81%. Também houve ajuste na projeção para 2015, que registrou queda de 1,5% para 1,2%.

Essas projeções fazem parte do boletim Focus, resultado de pesquisa semanal do BC a instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos.

O Jornal do Brasil já vinha alertando, em reportagens e editorias, que o PIB deste ano seria abaixo de 1% e que as projeções para a economia eram negativas:

>> Rosenberg Associados: após eleição, há risco de agências baixarem nota do Brasil

>> Rosenberg Associados: análise econômica prevê crescimento inferior a 1,8%

>> Rumos da economia brasileira preocupam mercado

>> 2014 começará após a decisão do 2º turno, no dia 26 de outubro

A estimativa para a retração da produção industrial foi mantida em 1,53%, este ano. Para 2015, a expectativa é expansão de 1,70%.

A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) segue em US$ 2 bilhões, este ano, e passou de US$ 8,5 bilhões para US$ 9 bilhões, em 2015.

A estimativa para o saldo negativo em transações correntes (registros de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) foi ajustada de US$ 81,45 bilhões para US$ 81,2 bilhões, este ano, e de US$ 74,1 bilhões para US$ 75 bilhões, em 2015.

Para o investimento estrangeiro direto, que vai para o setor produtivo da economia, a projeção continua em US$ 60 bilhões, em 2014, e em US$ 55 bilhões, no próximo ano.

A projeção para a cotação do dólar permanece em R$ 2,35, este ano, e em R$ 2,50, em 2015.

Com Agência Brasil

Tags: brasil, crescimento, economia, PIB, taxa

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.