Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Economia

Banco Mundial destina US$ 10,6 milhões à promoção de tecnologia agrícola

Agência Brasil

Representantes do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), mais conhecido como Banco Mundial, assinaram acordo hoje (1º), com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que destina US$ 10,6 milhões para o projeto ABC Cerrado, desenvolvido em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O objetivo do ABC Cerrado é difundir práticas agrícolas sustentáveis para a redução das emissões de gases do efeito estufa. Para o secretário executivo do Senar, Daniel Carrara, o projeto é um marco na agricultura de baixo carbono, decorrente de um processo de construção participativa inédito na instituição.

“Representa um projeto-piloto muito especial, que vai tentar ocupar todos os espaços para garantir a efetiva aplicação tecnológica no campo, garantindo renda, mas também a preservação ambiental. Vamos formar um exército de produtores, multiplicadores e técnicos para que consigamos implementar e aumentar as metas do programa, as metas físicas e financeiras, de obtenção de crédito”, disse Carrara.

Ao todo, 12 mil propriedades vão receber capacitação, sendo 1.200 nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Mato Grosso do Sul. Eles também terão assistência técnica, de acordo com os recursos disponíveis, e assumirão o compromisso de operar as tecnologias aprendidas, que servirão como objetos de estudo e vitrines tecnológicas.

Segundo o assessor técnico do projeto, Igor Borges, a fase de avaliação e monitoramento vai estabelecer até onde o projeto pode chegar. “Vamos avaliar a forma como o produtor vai assimilar o conhecimento que vamos repassar sobre tecnologias, e comparar se capacitar e também dar assistência é melhor”, disse o assessor do Senar.

O serviço será responsável pela capacitação tecnológica, formação profissional e assistência técnica no campo. O ABC Cerrado vai atender oito estados do bioma Cerrado - Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí e Minas Gerais - e o Distrito Federal durante quatro anos, com a promoção de quatro processos tecnológicos: recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto e florestas plantadas.

Essa é uma das soluções encontradas para que o mundo consiga suprir a demanda por alimentos, que vai dobrar até 2050, segundo o especialista em Desenvolvimento Rural do Banco Mundial, David Tuchschneider. “Até 2050, vamos ter em torno de dois bilhões a mais de pessoas no mundo. Isso mostra a importância da tecnologia. Sem a Embrapa e outras instituições tecnológicas teríamos que desmatar mais de 100 milhões de hectares adicionais, e o projeto ABC Cerrado aponta mais um caminho”.

Como o Senar trabalha com demandas, a mobilização será feita por meio de sindicatos rurais, associações de produtores e federações estaduais. Um recorte de municípios prioritários será feito com base em dados do IBGE sobre os municípios que mais desmataram o bioma Cerrado.

 

Tags: banco, brasil, cerrado, internacional, recursos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.