Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Economia

Ciclo internacional de conferências debaterá futuro das instituições financeiras

Jornal do Brasil

O Instituto Minds organiza para os dias 28 e 29 de julho o ciclo internacional de conferências: "O Presente e o Futuro das Instituições Financeiras de Desenvolvimento: um Diálogo de Aprendizado" para discutir os desafios e as contribuições das instituições financeiras de desenvolvimento (IFDs), no cenário econômico mundial.  Em 2012, dez IFDs movimentaram 3.2 trilhões de dólares confirmando a relevância econômica destas instituições desde a crise de 2007.  

Com o patrocinado do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e apoio da Caixa Econômica Federal, o ciclo reunirá economistas de 13 países como Albert Keidel (Universidade Georgetown), o diretor do banco de desenvolvimento econômico alemão, Helmut Gauges, Zhang Liang do Banco de Desenvolvimento da Chinaa cientista política Linda Weiss (Universidade de Sidney), Jan Kregel (Levy Economics Institute of Bard College), o indiano Navin Kumar Maini (diretor SIDBI)entre outros. O Instituto MINDS, que organiza o evento, é um polo de pensamento independente sediado no Rio de Janeiro. As conferências acontecem no auditório do BNDES, dias 28 e 29 de julho, segunda (13h30 às 18h30) e terça (10h às 18h15). 

A análise de especialistas internacionais e as discussões com representantes sênior de instituições de desenvolvimento de vários países do mundo constituirão o foco central do evento com o objetivo de fomentar a discussão de políticas públicas, além de, contribuir com elementos para capacitar essas instituições a incrementar a eficiência pela comparação de práticas, experiências e estratégias.  Há em curso um novo acordo financeiro mundial que será abordado no ciclo, dividido em quatro principais temas: "IFDs, o Estado e a mudança estrutural no sistema econômico", "IFDs na era global: prioridades, alocação de recursos, eficiência e efetividade", "IFDs e instituições de financiamento privadas", "IFDs e o panorama macrofinanceiro: novos desafios".

Histórico das IFDs

O principal objetivo das IFDs está relacionado a promover o desenvolvimento sustentável, num amplo aspecto de atividades econômicas não em oposição, mas complementando a atividade financeira privada. Segundo especialistas, em tempos de estabilidade, a formação de capital da economia nacional é uma tarefa chave para as instituições de desenvolvimento, Durante as crises, porém, seu papel anticíclico entra em jogo.

As Instituições e as Mudanças Estruturais

IFD's estão presentes em muitos países, mas cada uma constitui, em si, uma instituição singular. Elas diferem, por exemplo: (1) estrutura societária; (2) objetivo das atividades; (3) fonte de recursos e formas de financiamentos; (4) custos e lucratividade; (5) ambiente regulatório; (6) mecanismos de governança; (7) tamanho e estrutura do portfólio de atividades; (9) estratégia e desempenho econômico- financeiro.

Como essas instituições se desenvolvem segundo ritmo próprio, os desafios acontecem tanto histórica como geograficamente. Assim não existe um modelo único a ser seguido para as IFD's embora existam questões comuns, como ser capaz de promover o financiamento para investimento de longa maturação, a alto grau de incerteza e a capacitação produtiva em segmentos estratégicos, bem como criar e atualizar a infraestrutura de atividade-chave, onde o setor financeiro privado não se mostre adequado.

O Instituto Multidisciplinar de Desenvolvimento e Estratégia (MINDS) é uma organização sem fins lucrativos que tem por missão promover a discussão das estratégias de desenvolvimento. Em busca deste objetivo, MINDS está envolvida em uma série de iniciativas que incluem a condução de atividades de pesquisa relacionadas às estratégias do desenvolvimento; a realização de conferências internacionais e debates a respeito de políticas públicas; a construção de uma rede multidisciplinar e internacional de pesquisadores dedicados à questão do desenvolvimento; e o auxílio à criação de programas de pós-graduação e cursos de capacitação para servidores públicos e organizações não governamentais.

O público-alvo das iniciativas de MINDS são formuladores de políticas públicas, acadêmicos e funcionários do governo. Desse modo, ao disseminar o resultado de suas pesquisas, MINDS procura tornar estes resultados efetivos no que diz respeito às sugestões de política.

 

Participantes

Albert Keidel (Georgetown University - EUA)

Professor da Universidade Georgetown, especializado em Ásia Oriental, com foco na China. É Parceiro Sênior do Conselho Atlântico dos EUA.

Ana Claudia Além (BNDES - Brasil)

Economista, assessora da presidência do BNDES e professora do IBMEC/RJ. É doutora em Economia pelo Instituto de Economia da UFRJ.

Caetano Penna (SPRU/University of Sussex – Reino Unido)

Pesquisador especializado em Ciências Políticas na Universidade de Sussex.

Claudio Leal (Caixa Econômica Federal)

Diretor de Planejamento da Caixa Econômica Federal

Erno Ihto (FINNVERA - Finlândia)

Consultor sênior da agência de desenvolvimento da Finlândia (FINNVERA)

Gary Dimsky (Leeds University – Reino Unido)

Professor de Economia Aplicada na Universidade de Leeds

Helmut Gauges (KFW – Alemanha)

Diretor do banco de desenvolvimento alemão, KFW

Jan Kregel  (Levy Economics Institute of Bard College - EUA)

Acadêmico sênior e diretor do programa de Política Monetária e Estrutura Financeira do Levy Economics Institute of Bard College. Professor de finanças do desenvolvimento na Tallinn University of Technology.

João Carlos Ferraz (BNDES - Brasil)

Diretor do BNDES, especialista em temas relacionados a organização industrial e competição, inovação e estratégias empresariais, financiamento e políticas de desenvolvimento produtivo.

John Mathews (Macquarie University - Austrália)

John Mathews é atualmente responsável por Dinâmica competitiva e Estratégia Global na Universidade de Roma, em licença da Macquarie University de Sidney (MGSM).

Juan Antonio Ketterer (IADB)

Chefe da Divisão de Instituições Financeiras e de Mercados de Capital do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

Leonardo Burlamaqui (MINDS e UERJ - Brasil)

Diretor da MINDS, professor de economia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – (UERJ-BRASIL).

Linda Weiss (University of Sidney - Austrália)

Professora Emérita em Governo e Relações Internacionais da Universidade de Sydney, professora honorária de Ciência Política na Universidade de Aarhus e Parceira da Academia de Ciências Sociais da Austrália.

Ludovica Rizzotti (CDP-Itália)

Chefe de Relações Internacionais da Cassa Depositi e Prestiti (CDP)

Márcio Percival (Caixa Econômica Federal - Brasil)

Vice-presidente de Finanças e Controladoria da Caixa Econômica Federal.

Navin Kumar Maini (SIDBI - Índia)

Diretor geral para Pequenas Indústrias do Banco de Desenvolvimento da Índia (SIDBI).

Pierre Cléroux (BDC - Canadá)

Vice-presidente e Economista Chefe do Banco de Desenvolvimento do Canadá (BDC)

Rogério Sobreira (MINDS - Brasil)

Diretor do Instituto MINDS, diretor de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas-Rio de Janeiro, (FGV).

Sergio Martín (Bancomext – México)

Diretor do Banco de Comércio Exterior do México

Serguey Sementsov  (VEB – Rússia)

Chefe da divisão de Crescimento Sustentável – Departamento de Análise Estratégica  Desenvolvimento do Banco de Desenvolvimento da Rússia (VEB)

Sun? Wook Kim (KDB – Coréia do Sul)

Presidente da filial brasileira do Banco de Desenvolvimento da Coreia do Sul, KDB)

Zhang Liang (Banco de Desenvolvimento da China - China)

Diretor do Departamento de Pesquisas do Banco de Desenvolvimento da China

Tags: Academia, banco, DESENVOLVIMENTO, econômica, internacionais, Relações

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.