Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Economia

Presidente do Banco Central alemão ameniza críticas a premier italiano

Agência ANSA

Após ter feito duras críticas ao primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, o presidente do Bundesbank (o banco central alemão), Jens Weidmann, amenizou o tom e declarou nesta quarta-feira (16) que deseja sorte ao premier para implantar as reformas estruturais de que o país precisa.    

"Todas as nações possuem responsabilidade sobre a moeda comum. Então faço os meus desejos de que o governo italiano consiga realizar os projetos programados", disse o banqueiro ao jornal "Die Welt". No início de julho, Weidmann havia atacado a proposta de Renzi de flexibilizar o Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) da União Europeia e afirmado que as reformas devem ser feitas, e não anunciadas.    

O PEC obriga, entre outras coisas, os países-membro da UE a manter a dívida pública em até 60% do Produto Interno Bruto (PIB). Na Itália, essa relação chega a 130%, e o primeiro-ministro quer que os gastos com infraestrutura digital, por exemplo, não entrem nessa conta.    

No entanto, apesar de aliviar nas críticas, o presidente do Bundesbank voltou a ressaltar a importância de respeitar as normas europeias. "Como banco central, temos um interesse particular em manter as regras de estabilidade. A crise nos mostrou onde se termina quando os Estados não cumprem os acordos", salientou Weidmann. 

Tags: combate, crise, divergências, economia, itália

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.