Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Economia

BTG compra gestora suíça e amplia leque de negócios

Jornal do Brasil

Em um de seus editoriais, no dia 27 de abril, o JB publicou que havia informações no mercado sobre uma "operação abafa", na qual o Banco BVA poderia ser engolido pelo banco da moda, no caso o BTG Pactual. Já no final do mês de janeiro de 2011, o JB também informava que o BTG passou a ter o controle do Banco Panamericano, do empresário Sílvio Santos.

O patrimônio do Grupo BTG Pactual era de aproximadamente R$ 7,3 bilhões e o do Banco BTG Pactual, de R$ 5,6 bilhões, segundo informou a instituição na época. E tudo indica, como o JB já antecipava, que os avanços não vão parar por aí.

Nesta terça-feira (15/7), reportagem do Estado de S. Paulo, informa que o BTG Pactual está concretizando a compra da gestora de recursos suíça BSI, especializada em gestão de fortunas. De acordo com a reportagem, o acordo de compra e venda fechado com o grupo Generali, dono do BSI, vai custar cerca de R$ 1,7 bilhão ao banqueiro brasileiro André Esteves. 

Com a gestora suíça, o BTG, que hoje administra US$ 100 bilhões, dobra de tamanho no segmento gestão de recursos.

E maio, reportagem da Folha de S. Paulo fez uma denúncia gravíssima envolvendo esse mesmo banco da moda: "Troca no comando da Petrobras mudou rumo de negócio na África". Segundo a reportagem, a mudança na direção da estatal, em 2012, feita por Dilma Rousseff, mudou o rumo de uma negociação bilionária de venda dos poços de petróleo da Petrobras na África. 

O negócio, que estava nas mãos de um diretor indicado pelo PMDB, foi para um subordinado de Graça Foster. No ano seguinte, o banco BTG Pactual pagou US$ 1,5 bilhão para ficar com metade das operações africanas da Petrobras e se tornar sócio da estatal.

Segundo a matéria da Folha, o valor obtido pela venda despertou desconfianças, porque a gestão anterior calculava que os ativos valiam quase quatro vezes mais. Os funcionários que participaram do início do processo foram afastados depois que Jorge Zelada, que dirigia a área internacional da Petrobras, deixou o cargo e Graça Foster repassou a tarefa a outra equipe de sua confiança.

Tags: acordo, banco, compra, negócio, pactual

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.