Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Economia

Governo italiano confirma 2.251 demissões na Alitalia

Agência ANSA

O ministro dos Transportes da Itália, Maurizio Lupi, confirmou nesta quarta-feira (2) que a Alitalia vai demitir 2.251 funcionários por conta da fusão com a Etihad Airways, número que desagrada as associações de trabalhadores do setor aéreo. "O número está muito claro. É preciso verificar se dentro da cadeia industrial é possível encontrar uma recolocação. Estamos trabalhando nessa direção", afirmou.    

As declarações foram dadas após Lupi se reunir com os sindicatos para ouvir a sua visão sobre as exigências feitas pelo grupo dos Emirados Árabes Unidos para concluir a compra de 49% do capital da maior companhia aérea da Itália. "Dissemos com clareza que não se pode ter uma negociação que se traduza em milhares de demissões", explicou a secretária da Confederação Geral Italiana do Trabalho (Cgil), Susanna Camusso.    

Por outro lado, o ministro dos Transportes disse esperar que as tratativas com os sindicalistas, as duas empresas e os credores da Alitalia sejam concluídas até o final da semana que vem. "Pela primeira vez a perspectiva não é a de um caixão, mas sim a de um grande plano industrial de retomada", completou.    

Desde o ano passado, a companhia negocia para receber um aporte da Etihad, com o objetivo de reaver sua força nos mercados interno e europeu, após ter enfrentado uma grave crise financeira.

 

Exposição Universal

 O primeiro efeito da iminente parceria entre a Alitalia e o grupo árabe será a colaboração com a Expo Milão 2015, que nomeou as duas como companhias aéreas oficiais do evento, marcado para acontecer entre 1º de maio e 31 de outubro do ano que vem. As empresas se comprometeram a oferecer quase 100 voos por dia durante a feira para conectar a capital da Lombardia a 866 localidades de todo o mundo.    

Segundo estimativas dos organizadores, cerca de 20 milhões de pessoas visitarão a exposição, das quais 7,6 milhões chegarão à cidade de avião

Tags: aérea, companhia, crise, Demissões, itália

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.