Jornal do Brasil

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Economia

Japan Times: O novo aperto na Argentina

Editorial defende país de credores que não aceitaram renegociar a dívida

Jornal do Brasil

O The Japan Times publicou um editorial nesta segunda-feira (30) defendendo a Argentina dos "holdouts", credores que não aceitaram renegociar a dívida com o país. O jornal afirma que a Argentina está sendo pressionada por duas forças diferentes: sua lei doméstica e a maioria dos credores de um lado, e um pequeno grupo de credores que se recusaram a negociar a dívida de outro. Segundo o autor, uma nova inadimplência parece estar cada vez mais próxima. 

O artigo aponta que os "holdouts" procuraram ao redor do mundo por bens argentinos para tomar, e uma vez até conseguiram uma ordem para encurralar um navio da marinha argentina. Em determinado momento, inclusive demandaram que as cortes divulgassem a localização dos bens do governo. Segundo oficiais argentinos, o país foi alvo de mais de 900 processos judiciais. 

A publicação reconhece que a Argentina não é uma queixosa muito simpática. O país avaliou os "holdouts" como abutres e a presidente Cristina Kirchner já disse que não se curvará a uma extorsão. As reservas argentinas estão em $29 bilhões. Se o país pagasse o que deve aos "holdouts" sem negociação, teria que liberar $15 bilhões, ou metade da própria reserva. Esse débito poderia forçar outra inadimplência. 

Além disso, o jornal relembra que as preocupações sobre a imunidade soberana são reais. O governo dos Estados Unidos já avisou sobre os efeitos adversos nas relações internacionais caso os "holdouts" ganhem e a lei da Argentina seja descartada sumariamente. O editorial aponta que a esperança agora é de que a Argentina e os "holdouts" dobrem os esforços para alcançar um acordo no mês anterior ao momento em que uma real inadimplência acabaria ocorrendo. O país tem até o dia 30 de julho para isso.

O Japan Times defende, ainda, que os EUA pressionem os "holdouts" para que eles negociem a dívida. "O desprezo desqualificado dos holdouts pelas consequências de suas teimosas recusas para solucionar a questão retira deles qualquer alegação moral sobre o pagamento", finaliza o jornal. 

Tags: Argentina, CONFLITO, credores, débito, dívida, holdouts

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.