Jornal do Brasil

Segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Economia

Bovespa opera em alta pelo quarto dia consecutivo

Jornal do Brasil

Nesta quarta-feira, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta ganhos, influenciado por dados políticos. Às 13h55, o Ibovespa tinha valorização de 0,91%, aos 55.099 pontos. Nesta terça, a Bovespa subiu 0,61%, para 54.604 pontos, o maior nível de fechamento do índice desde 28 de outubro de 2013. Na semana, a bolsa tem alta de 2,78% e no mês, de 6,57%. No ano, há alta de 6,01%. 

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Energias (ON), que avançavam 3,63%, e da Tractebel (ON), que apresentavam alta de 2,37%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Oi (PN), que recuavam 2,63%, e do Santander (UNT), que apresentavam revés de 1,43%.

Abrindo a agenda de indicadores internos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que em abril de 2014, o total do pessoal ocupado assalariado na indústria mostrou variação negativa (-0,3%) frente a março na série livre de influências sazonais. O principal impacto negativo sobre a média global foi observado em São Paulo (-3,3%), pressionado em grande parte pela redução no total do pessoal ocupado em 13 das 18 atividades, com destaque para as indústrias de produtos de metal.

No exterior, o Banco Mundial reduziu ontem sua projeção de crescimento global, alegando que uma confluência de eventos, da crise na Ucrânia ao clima excepcionalmente frio nos Estados Unidos, prejudicou a expansão econômica no primeiro semestre do ano. A instituição projetou que a economia mundial crescerá 2,8% neste ano, abaixo da previsão feita em janeiro, de 3,2%, mas expressou confiança de que a atividade já está mudando de rumo para uma base mais sólida.

Para finalizar, na China, os gastos fiscais saltaram 24,6% em maio ante o ano anterior, informou o Ministério das Finanças, destacando a intensificação dos esforços do governo para fortalecer a economia. Os gastos fiscais totais em maio subiram para 1,3 trilhão de iuanes (US$ 208,75 bilhões), acelerando ante alta de 9,6% nos quatro primeiros meses do ano. 

E o índice japonês Nikkei encerrou em alta de 0,5%, sustentado pela decisão do MSCI de remover os índices da Coreia do Sul e de Taiwan de sua lista de revisão para reclassificação como mercados desenvolvidos, mantendo-os na classificação de mercados emergentes.

Tags: alta, Bolsa, economia, mercado, SP

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.