Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Setembro de 2014

Economia

Bovespa fecha em queda, pressionada por Petrobras

Ações na Europa fecham estáveis com menor recuperação da região

Jornal do Brasil

A Bovespa fechou em queda de 0,38%, a 51.832 pontos, após duas altas consecutivas e com investidores avaliando dados econômicos. As ações da Petrobras lideraram as quedas do dia, com desvalorização de cerca de 2%.

Na abertura dos negócios, o Ibovespa recuava 0,15%, aos 51.954 pontos. A baixa durante a manhã era causada principalmente pela Petrobras, pelo Itaú Unibanco e pelo Bradesco. Por volta de 14h15, a variação do Ibovespa se mantinha negativa, com queda de 0,56% a 51.742 pontos. O mercado respondia aos dados do recuo da produção industrial brasileira em abril, quando apresentou recuo de 0,3%. A produção da indústria nacional foi afetada, em especial, pelos bens de consumo duráveis.

No quadro exterior, o mercado também respondia a dados dos Estados Unidos que indicavam ter ocorrido um número menor de contratações no setor privado em maio. Foi anunciada a criação de 179 mil vagas de trabalho no setor privado dos Estados Unidos, número inferior aos 215 mil registrados em abril.

De acordo com o consultor independente de investimentos Maurício Zlatkin, a Petrobras teve destaque nas perdas da Bovespa, após a divulgação de uma reportagem citando que o ministro Guido Mantega teria impedido aumentos nos preços dos combustíveis em abril e maio. “O setor bancário também teve perdas com o adiamento por tempo indeterminado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do julgamento dos planos econômicos”, explicou.

Por volta de 14h, a Klabin S/A UNT N2 apresentava a pior oscilação negativa, com baixa de 1,82%. A Petrobras PN também estava entre as maiores baixas, com 1,60% de queda. Outras oscilações negativas eram as da Gol PN ES N2, com 1,74% de redução; Natura ON NM, com 1,69% de baixa; e Hypermarcas ON NM, que apresentava oscilação negativa de 1,58%.

A principal alta era a da JBS ON NM, que apresentava variação positiva de 3,07%.

Ações na Europa fecham estáveis com menor recuperação da região

As ações europeias fecharam estáveis nesta quarta-feira (4), com sinais de desaceleração na recuperação da economia da zona do euro no primeiro trimestre e investidores à espera de ações do Banco Central Europeu (BCE) para estimular o crescimento. O índice FTSEurofirst 300 das principais ações europeias fechou estável, aos 1.374 pontos.

Em Londres, o índice Financial Times recuou 0,26%, a 6.818 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,07, a 9.926 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 0,06%, a 4.501 pontos. Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,16%, a 21.622 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,20%, a 10.755 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 valorizou-se 0,54, a 7.164 pontos.

Tags: baixa, Bolsa, economia, mercado, SP

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.