Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Economia

Produção do pré-sal atinge novo recorde em abril

Jornal do Brasil

A produção do pré-sal em abril foi recorde pelo sexto mês consecutivo e, pela primeira vez, atingiu média mensal superior a 400 mil barris por dia, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP). A produção superou em 4,2% a de março. Foram produzidos 503,6 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 412 mil barris diários de petróleo e 14,6 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. 

A produção teve origem em 34 poços, localizados nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Caratinga, Barracuda, Búzios, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá e Trilha. 

A produção de petróleo e gás natural no Brasil em abril totalizou aproximadamente 2,667 milhões de barris equivalentes por dia, sendo 2,146 milhões de barris diários de petróleo e 82,9 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. Na comparação com o mês anterior a produção de petróleo teve aumento aproximado de 1,3% e de 11,6% em relação a abril de 2013. Os principais motivos para o aumento foram o retorno de produção da plataforma P-20, no campo de Marlim, e o início de produção da plataforma P-58, nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca e Jubarte. 

Já a produção de gás natural aumentou aproximadamente 10,9% em relação a abril de 2013 e diminuiu cerca de 0,7% em relação ao mês anterior.

Queima de gás

O aproveitamento do gás natural no mês foi de 94,4%. A queima de gás natural em abril foi cerca de 4,6 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de aproximadamente 7,3% em relação ao mês anterior e de 18,7% em relação a abril de 2013. O principal motivo para o aumento da queima de gás natural foi o comissionamento da plataforma P-58, que iniciou operação nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca e Jubarte.

Campos produtores

Em torno de 90,4% da produção de petróleo e gás natural foram provenientes de campos operados pela Petrobras. Aproximadamente 92,1% da produção de petróleo e 71,6% da produção de gás natural do Brasil foram explorados de campos marítimos. O campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, foi o de maior produção de petróleo, com média de 255,9 mil barris por dia. O maior produtor de gás natural foi o campo de Mexilhão, na bacia de Santos, com média diária de 6,9 milhões de metros cúbicos.

A plataforma P-52, localizada no campo de Roncador, produziu, através de 14 poços a ela interligados, cerca de 133,9 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a unidade com maior produção. Os campos cujos contratos são de acumulações marginais produziram um total de 107,7 barris diários de petróleo e 2,2 mil metros cúbicos de gás natural por dia. Dentre esses campos, Bom Lugar, operado pela Alvopetro, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, com 32,2 barris de óleo equivalente por dia.

A produção procedente das bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) foi de 174,5 Mboe/d, sendo 142,6 Mbbl/d de petróleo e 5,1 MMm³/d de gás natural. Desse total, 3,9 Mboe/d foram produzidos por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 297 boe/d no Estado de Alagoas, 1.973 boe/d na Bahia, 22 boe/d no Espírito Santo, 1.387 boe/d no Rio Grande do Norte e 275 boe/d em Sergipe.

Tags: águas, MAR, Petrobras, Petróleo, profundas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.