Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Economia

Criação de empregos formais em abril cai 46,48% em relação a igual mês de 2013 

Segundo o Caged, foi o pior abril em 15 anos

Jornal do Brasil

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho mostram que foram criados 105.384 empregos formais em abril, o que representa uma queda de 46,48% em relação ao mesmo período do ano passado (196.913 vagas formais). Este é o pior resultado para meses de abril em 15 anos.

De janeiro a abril deste ano, foram criados 458.145 empregos com carteira assinada - uma queda de 16,5% ante o mesmo período do ano passado, quando foram abertas 549.064 vagas. Também foi o pior resultado para os quatro primeiros meses de um ano, desde 2009 (+98.319 empregos com carteira assinada).

Segundo o Ministério do Trabalho, o setor de serviços liderou a criação de empregos formais nos quatro primeiros meses deste ano, com 295.932 postos abertos (contra 265.278 no mesmo período do ano passado). Já a indústria de transformação foi responsável pela contratação de 98,576 trabalhadores com carteira assinada no mesmo período. De janeiro a abril do ano passado, a indústria abriu 153.975 vagas.

A construção civil, por sua vez, registrou a abertura 75.725 trabalhadores com carteira assinada no primeiro quadrimestre deste ano, contra 121.013 vagas no mesmo período de 2013. Já o setor agrícola gerou 20.859 empregos nos quatro primeiros meses deste ano (contra a abertura de 15.889 vagas no mesmo período de 2013), enquanto o comércio fechou 60.587 vagas formais de janeiro a abril deste ano (contra 41.811 vagas fechadas nos quatro primeiros meses de 2013).

O emprego formal cresceu em três das cinco regiões do país no primeiro quadrimestre deste ano: a Região Sudeste abriu 238.444 empregos com carteira assinada; a Região Sul registrou a criação de 178.608; e a Região Centro-Oeste foi responsável pela abertura de 68.818 postos formais.

Tags: cadastro, dados, economia, empregos, Ministério

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.