Jornal do Brasil

Sábado, 30 de Agosto de 2014

Economia

Justiça autoriza quebra de sigilo bancário de Eike Batista

Jornal do Brasil

A Justiça Federal do Rio de Janeiro autorizou nesta sexta-feira a quebra dos sigilos bancário e fiscal do empresário Eike Batista, acusado de crime financeiro por supostamente operar em benefício próprio no mercado de capitais. A assessoria de imprensa da Justiça Federal informou que o processo corre em sigilo na 3ª Vara Federal Criminal do Rio.

Segundo a coluna de Lauro Jardim na revista Veja, na quarta-feira (7), a Justiça Federal decretou o sequestro de bens de Eike no valor de R$ 122 milhões. O Ministério Público foi o responsável pelo pedido, ainda de acordo com o colunista.

A medida veio após uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, publicada no último domingo (4), revelando que o empresário havia doado suas principais residências para os filhos Thor e Olin. As mansões no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro, e em Angra dos Reis, foram avaliadas por uma corretora em R$ 50 milhões. 

Segundo a matéria, as doações ocorreram em junho de 2013, quando Eike já estava em crise e renegociava dívidas bilionárias com credores da EBX. Advogados consultados pela Folha afirmaram que, caso o empresário não tenha dinheiro suficiente para honrar todas as dívidas que assumiu como pessoa física, as transferências dos imóveis podem ser consideradas lesivas para os credores.

Uma investigação também foi aberta pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para apurar operações feitas pelo empresário na Bolsa de Valores. Eike Batista é acusado de vender ações de sua empresa para evitar futuros prejuízos pessoais.

Tags: bens, empresário, falido, Rio, SEQUESTRO

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.