Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Economia

BTG paga US$ 1,5 bi por ativos que Petrobras avalia 4 vezes mais valiosos

Folha de S. Paulo revela que troca no comando da estatal mudou rumo de negócio bilionário

Jornal do Brasil

Em um de seus editoriais, no dia 27 de abril, o JB publicou que havia informações no mercado sobre uma "operação abafa", na qual o Banco BVA poderia ser engolido pelo banco da moda, no caso o BTG Pactual. Já no final do mês de janeiro de 2011, o JB também informava que o BTG passou a ter o controle do Banco Panamericano, do empresário Sílvio Santos.

O patrimônio do Grupo BTG Pactual era de aproximadamente R$ 7,3 bilhões e o do Banco BTG Pactual, de R$ 5,6 bilhões, segundo informou a instituição na época.

Na edição deste domingo, o jornal Folha de São Paulo faz uma denúncia gravíssima envolvendo esse mesmo banco da moda: "Troca no comando da Petrobras mudou rumo de negócio na África". Segundo a reportagem, a mudança na direção da estatal, em 2012, feita por Dilma Rousseff, mudou o rumo de uma negociação bilionária de venda dos poços de petróleo da Petrobras na África. 

O negócio, que estava nas mãos de um diretor indicado pelo PMDB, foi para um subordinado de Graça Foster. No ano seguinte, o banco BTG Pactual pagou US$ 1,5 bilhão para ficar com metade das operações africanas da Petrobras e se tornar sócio da estatal.

Segundo a matéria da Folha, o valor obtido pela venda despertou desconfianças, porque a gestão anterior calculava que os ativos valiam quase quatro vezes mais. Os funcionários que participaram do início do processo foram afastados depois que Jorge Zelada, que dirigia a área internacional da Petrobras, deixou o cargo e Graça Foster repassou a tarefa a outra equipe de sua confiança.

Tags: economia, estatal, negócios, Petróleo, superfaturamernto

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.