Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Economia

IBGE adota nova versão de pesquisa sobre produção industrial

Agência Brasil

A partir da semana que vem, a Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) ganhará uma nova versão. Será a terceira reformulação da pesquisa que mede as tendências da linha de produção industrial brasileira. A primeira foi feita em 1991 e a segunda em 2004. O pesquisador do IBGE, órgão responsável pela amostra, Flávio Magheli, explicou que foi necessário incorporar novos produtos e retirar alguns itens da pesquisa para que os resultados refletissem os novos tempos da estrutura industrial.

“Os pesos dos produtos e das atividades mudam com o tempo. Por exemplo, incluímos na pesquisa o biodiesel que não existia e ganhou participação na última década”, contou. “Outros produtos deixaram de ser pesquisados por terem perdido peso, como o tubo de imagem para televisor”, citou ele. A referência que era do período de 1998-2000 agora se baseia em 2010, ano que também servirá de referência para a nova Série de Contas Nacionais. A divulgação de resultados será em 7 de maio e apresentará informações retroativas a janeiro de 2012.

Com as mudanças, o índice passa a adotar a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) versão 2.0 para alinhamento internacional. Houve também atualização da amostra de setores e informantes. A amostra agora investiga 944 produtos em 7.800 unidades locais. Antes eram investigados 830 produtos e 3.700 unidades locais. O pesquisador explicou que não houve alteração da metodologia nem do critério de participação dos locais.

Os indicadores da PIM-PF subsidiam o Sistema de Contas Nacionais do Brasil e insumos amplamente utilizados em comparação ou em conjunção com outros indicadores de curto prazo para avaliar o desempenho Industrial. Os resultados da nova série de índices da PIM-PF reformulada serão incorporados no cálculo das Contas Nacionais Trimestrais, a partir da divulgação dos resultados referentes ao primeiro trimestre de 2014.

Tags: estatística, IBGE, industria, pesquisa, reformulação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.