Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Economia

Gastos em viagens internacionais têm tendência de queda após recorde em 2013

Agência Brasil

Os gastos de brasileiros no exterior recuaram em março, após apresentar vários recordes em meses anteriores. De acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (25), em março, essas despesas chegaram a US$ 1,838 bilhão, queda de 1,3% em relação a igual período de 2013 (US$ 1,863 bilhão).

“A gente não observava ao longo de 2012 e 2013 uma queda na comparação interanual”, disse o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel. Com relação a 2013, os gastos de brasileiros em viagens ao exterior chegaram ao recorde de US$ 25,342 bilhões.

No primeiro trimestre também houve redução nas despesas de brasileiros no exterior. De janeiro a março, esses gastos chegaram a US$ 5,874 bilhões, com redução de 1,8% em relação ao primeiro trimestre do ano passado (US$ 5,984 bilhões). O resultado confirma tendência apresentada no primeiro bimestre.

Para Maciel, o fator que levou à redução dos gastos no exterior é o dólar mais caro. Em março, a cotação média do dólar chegou a R$ 2,33 e, no mesmo mês do ano passado, estava em R$ 1,98. Maciel também argumentou que movimentos de curto prazo na cotação do dólar tem uma influência menor porque as viagens internacionais são programadas com antecedência. Por isso, disse Maciel, é preciso observar as mudanças no câmbio mantidas por um período maior, para se verificar a reação nos gastos no exterior.

Outro fator que pode influenciar nas viagens internacionais é a renda, mas a influência para o resultado de agora foi descartado. Para Maciel, como a renda dos brasileiros continua crescendo, o fator que teve relevância para haver redução nas viagens foi mesmo o dólar mais caro.

De acordo com dados preliminares, neste mês, até o último dia 23, os gastos com viagens internacionais chegaram a US$ 1,602 bilhão. A conta de viagens, incluídas as despesas dos brasileiros e as receitas de estrangeiros no país (US$ 387 milhões), está negativa em US$ 1,215 bilhão, neste mês, até o dia 23.

No primeiro trimestre, o saldo negativo da conta de viagens ficou em US$ 4,103 bilhões, ante US$ 4,064 bilhões em igual período de 2013.

O resultado das viagens internacionais faz parte do segmento de serviços das contas externas brasileiras. Nessa conta, com déficit de US$ 10,439 bilhões, também estão incluídos transportes, aluguel de equipamentos, seguros, entre outros. Nas contas externas, também entram os dados de rendas (remessas de lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), com saldo negativo de US$ 9,105 bilhões; e a balança comercial (saldo de exportações menos importações), com déficit de US$ 6,072 bilhões, nos três meses do ano.

Com esses resultados, as contas externas fecharam o trimestre com déficit recorde de US$ 25,186 bilhões, contra US$ 24,704 bilhões registrados em igual período do ano passado.

Segundo Maciel, esse aumento do déficit no primeiro trimestre ocorreu devido ao comportamento da balança comercial. Ele explicou que houve redução de preços de produtos brasileiros que são exportados, principalmente os agrícolas. Mas Maciel disse que o BC espera melhora na balança comercial ao longo do ano. Ele também citou a mudança na conta de viagens internacionais, que deve apresentar déficits menores.

Tags: brasil, economia, Gasto, queda, turismo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.