Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Economia

Transportes contribuem para crescimento nominal do setor de serviços

Agência Brasil

O setor de serviços registrou crescimento nominal em fevereiro de 10,3%, na comparação com fevereiro do ano anterior. A expansão é a maior variação percentual desde abril de 2013, quando a taxa expandiu 11,6%. O resultado chega a ser 1,1 ponto percentual superior à alta revisada de 9,2% de janeiro deste ano e também maior que os 8,3% de dezembro do ano passado.

Com o resultado de fevereiro, a receita do setor de serviços acumula alta de 9,8%, nos últimos 12 meses (a taxa anualizada). Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje (16).

Segundo o IBGE, os serviços prestados às famílias cresceram 13,2%, os serviços de informação e comunicação, 7,5%, os serviços profissionais, administrativos e complementares, 9,3%, transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, 14,7%, e outros serviços, 6,5%.

A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), primeiro indicador conjuntural mensal que investiga o setor de serviços no país, abrange as atividades do segmento empresarial não financeiro, exceto os setores da saúde, educação, administração pública e aluguel imputado (valor que os proprietários teriam direito de receber se alugassem os imóveis onde moram).

As informações do IBGE indicam que o crescimento de 14,7% nos transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (com peso de 30,7% na estrutura do indicador) contribuiu de forma mais acentuada para o crescimento do setor de serviços em fevereiro, principalmente o transporte terrestre (17,6%).

O crescimento de 13,2% em fevereiro nos serviços prestados às famílias foi o maior dos últimos 12 meses neste tipo de comparação (igual mês do ano anterior). O resultado foi também superior ao crescimento de janeiro (13%) e de dezembro do ano passado (9,6%).

Para a alta nos serviços prestados às famílias, destacam-se, segundo o IBGE, os serviços de alojamento e alimentação, com crescimento de 13%, e outros serviços prestados às famílias, com variação de 15,1%.

A série da variação acumulada nos serviços prestados às famílias mantém movimento de crescimento contínuo ao longo dos últimos 12 meses, acompanhando o crescimento da massa de rendimento médio da população ocupada, que passou de R$ 44.953 milhões em março de 2013 para R$ 47.084 milhões em fevereiro de 2014 - crescimento de 4,7%.

Os serviços de informação e comunicação cresceram 7,5%. A taxa é inferior à de janeiro (8,7%), mas superior à de dezembro de 2013 (6,8%). Os serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC), que abrangem atividades de telecomunicações e tecnologia da informação, variaram 6%, e os serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias cresceram 18,1%.

Com o resultado de fevereiro, o segmento de serviços de informação e comunicação representou 25,2% em termos de contribuição relativa no mês, contribuindo com 2,6 pontos percentuais (p.p.) para a composição absoluta do índice.

O crescimento nominal de 14,7% no segmento de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio em fevereiro, na comparação com o mesmo período do ano anterior, é superior às taxas de janeiro (9,7%) e de dezembro (11,4%).

Neste segmento, as maiores taxas foram registradas no transporte aquaviário (22,7%) e no transporte aéreo (20,6%), sendo que o transporte terrestre cresceu 11,8%. Os serviços de armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio variaram 17,1%. Esse segmento contribui, em termos relativos, com 42,7% e com 4,4 p.p, em termos absolutos para a composição do índice geral.

Tags: brasil, crescimento, economia, IBGE, serviço

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.