Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Economia

Financial Times: Aspirações da América Latina correm risco de serem frustradas

Matéria discute aumento da classe média e frustação de expectativas.

Jornal do Brasil

O jornal internacional de negócios Financial Times publicou uma matéria nesta terça-feira abordando o aumento da classe média no Brasil e a frustração de expectativas desta camada. A matéria destaca que a expansão da classe média fomentou o aumento no número de protestos, como os que aconteceram no Brasil no ano passado.

As profundas mudanças estruturais causadas por esse processo tornaram a nova classe média "um problema político estratégico para os governantes", diz Antônio Sampaio, analista de pesquisa para a América Latina no Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, em Londres. Segundo Santiago Levy, economista do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento, a habilidade dos países de corresponder às novas expectativas pode não estar presente.

De acordo com o autor da reportagem, graças a duas décadas de estabilidade macroeconômica e uma década de desemprego e salário crescentes, o Brasil tem estado na "farra" do consumo, estimulado pelo acesso fácil ao crédito. Entretanto, este modelo teria atingido seu limite. O crédito teria dobrado na última década para 56% do produto doméstico bruto, um pulo que não poderia ser repetido.

A matéria destaca que não é por acidente que a economia começou a desacelerar em 2011 logo quando a dívida média de pagamentos do brasileiro chegou a 23% do rendimento familiar, perto do valor que estava a dívida média dos Estados Unidos antes da crise em 2008. O jornalista aponta que a peça-chave para o Brasil é a produtividade, já que o salário mínimo cresceu em 30% desde 2003, enquanto a produção tem estado estagnada. "Não pode sustentar aumentos no salário sem sustentar aumento na produtividade", afirma Levy.

Devido à queda na competitividade, o artigo explica que o Brasil teria perdido investimentos. Ainda assim, muitos brasileiros têm um sentimento positivo, porque apesar da economia estar fraca, a renda está crescendo e o desemprego tem níveis baixos recordes. Estas seriam as principais conquistas aproveitadas pela presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição em outubro. A reportagem faz, em seguida, uma pergunta: Por mais quanto tempo isto pode continuar?

Tags: brasil, classe média, crédito, economia, expansão, protestos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.