Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Economia

Crescimento de serviços ocorreu em todos os estados em fevereiro

Agência Brasil

O crescimento nominal de 10,3% no setor de serviços verificado em fevereiro deste ano, ante igual mês do ano passado, constituiu a maior variação percentual desde abril de 2013. Há um ano a taxa subiu 11,6%. Os dados dos serviços refletiram resultados positivos em todos os estados da federação abrangidos pela Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (16), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A maior taxa de crescimento nominal foi verificada no Distrito Federal, com alta eqivalente a 26,8%, seguido de Mato Grosso (24,0%) e Goiás (22,8%). Já as menores taxas ocorreram em Alagoas (2,6%), em Sergipe (3,4%) e em Tocantins (4,3%).

O IBGE informa, porém, que na composição absoluta e relativa do índice de serviços, os destaques em termos de contribuição percentual foram São Paulo (com 33,0% de contribuição relativa e 3,4 pontos percentuais de contribuição absoluta), Rio de Janeiro (com 19,4% de contribuição relativa e 2 pontos percentuais de contribuição absoluta), Minas Gerais (com 6,8% de contribuição relativa e 0,7 ponto percentual de contribuição absoluta) e Distrito Federal (5,7% de contribuição relativa e 0,6 ponto percentual de contribuição absoluta).

Isoladamente, no segmento serviços prestados às famílias, as maiores taxas ocorreram no Ceará (23,5%), no Rio Grande do Sul (19,8%) e em São Paulo (17,8%); e as menores em Goiás (3,9%), na Bahia (4,9%) e em Santa Catarina (5,9%).

Nos serviços de informação e comunicação, Goiás teve a maior taxa de crescimento (40,1%), seguido do Distrito Federal (27,1%) e de Santa Catarina (20,8%). As menores taxas positivas foram observadas no Espírito Santo (0,7%), em Minas Gerais (1,3%) e em São Paulo (2,6%). Neste segmento, Bahia registrou a única variação negativa (-1,9%).

Nos serviços profissionais, administrativos e complementares, o Distrito Federal teve a maior taxa de crescimento (24,2%), seguido da Bahia (13,3%) e de Santa Catarina (12,8%). As menores variações positivas foram em Pernambuco (0,4%), no Ceará (4,7%) e no Espírito Santo (5,6%). Rio Grande do Sul apresentou variação negativa de 6,2%.

Nos transportes, serviços auxiliares de transportes e de correio Distrito Federal (36,8%), Rio de Janeiro (20,5%) e Goiás (16,4%) tiveram as maiores variações. As menores variações foram registradas no Rio Grande do Sul (5,7%), em Santa Catarina (7,5%) e em Espírito Santo (8,7%).

Tags: brasil, crescimento, economia, IBGE, nominal

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.